sábado, junho 29, 2013

A EUROPA “AMIGA” DOS DESEMPREGADOS



Portugal “entrou” na Comunidade Europeia por vontade dos nossos políticos e o aprofundamento da integração foi feito sem a necessária consulta às populações. Independentemente das opiniões de cada um, o processo não foi verdadeiramente democrático.

Numa comunidade de países as coisas podem correr bem, mas também podem correr pior se o peso de cada país for diferente como acabou por acontecer na União Europeia, de alguns anos a esta parte. Portugal como país de pequena dimensão, com poucos habitantes e com uma economia fraca, quase não tem voz matéria na UE.

A Europa onde nos encontramos tem privilegiado os grandes países e os grandes grupos económicos em quase todas as áreas, tornando cada vez mais difíceis as condições concorrenciais das economias mais débeis.

Um exemplo mais do que flagrante está no facto de se ter tido conhecimento que, para a ajuda aos desempregados jovens a CE está a disponibilizar uma quantia que é 0,17% do que já deu aos bancos nesta última crise. Creio que até os mais fervorosos europeístas se indignam com esta discrepância de ajudas.



2 comentários:

maceta disse...

fica-se com pouca vontade de alimentar esta cegada...

cumpts

Zé Marreta disse...

Vá lá, nem tudo é mau. Agora até temos mais um concorrente...

Saudações do Zé Marreta.