quarta-feira, maio 29, 2013

DE MENTIRA EM MENTIRA…



Em Democracia é usual aceitar-se que um governo que emana de eleições livres terá legitimidade para governar durante o seu mandato. O princípio tem sido válido no pressuposto que os eleitos sejam sérios e respeitem aquilo que prometeram aos eleitores quando se apresentaram a votos.

Este governo encabeçado por Passos Coelho já perdeu há muito a sua legitimidade, tantas são as promessas que desonrou durante a 1ª metade do seu mandato. Os funcionários públicos terão imensas razões de queixa, bem como os reformados pois são os grupos mais flagelados pela má governação deste executivo.

A mais recente trapalhada, para não dizer aldrabice, é a da mobilidade especial, que agora se chama “requalificação”, que não é um despedimento colectivo mas que é contemplada com o subsídio de desemprego ao fim de um ano. A tal mobilidade que é imposta, que pode dar direito a uma rescisão amigável que se não for aceite dentro de determinado prazo, se perde pelo menos em parte, e à qual se segue o subsídio de desemprego sem existir um desemprego formal.

Estamos todos recordados dum desmentido por escrito do ministério da Finanças, que rejeitava há uma semana o subsídio de desemprego para os funcionários públicos, mas agora já é uma proposta do governo, que ainda não admite um despedimento colectivo sem justa causa, que talvez surja daqui a uma semanas, a continuar este desfiar de mentiras…

4 comentários:

Anónimo disse...

Só há uma maneira de nos ver-mos livres desta escumalha que é correr com eles ao pontapé e à estalada
Lol

AnarKa

MARIA disse...


Quando acho que já não há mais onde tirar, cortar, roubar, espremer e rapar... Eles inventam! Tão inteligentes, tão ladrões, tão....!

O que mais virá?

Metalurgia das letras disse...

Mentir para os políticos é como escovar os dentes, já virou hábito. Só que com tantas mentiras o povo vai se esquecendo de facto dos benefícios da verdade.

maceta disse...

o aldrabão só sai à força...