quinta-feira, abril 25, 2013

25 DE ABRIL



Tem havido alguma polémica em torno das comemorações oficiais do 25 de Abril desde que os militares de Abril anunciaram a sua ausência do evento oficial, mas curiosamente os simpatizantes do círculo do poder vieram desvalorizar o caso. 

Na realidade as comemorações oficiais com a presença dos membros do governo e dos representantes dos partidos que o apoiam não faz qualquer sentido, atendendo ao que têm vindo a fazer desde que tomaram as rédeas do poder. Não falo de tendências políticas, obviamente, que essas são da responsabilidade de cada um, mas de coerência com o espírito que enformou o 25 de Abril, que não está presente na acção deste governo. 

Vi que os apoiantes do governo levaram sempre a intenção, de algumas pessoas ligadas ao golpe militar do 25 de Abril, não estarem presentes para as diferenças ideológicas, vindo por isso a clamar que existe Liberdade e Democracia, e que portanto não há razão para esta atitude. Eu discordo deles, o que não será novidade, precisamente porque as populações aderiram ao 25 de Abril porque era a sua oportunidade de viver num mundo mais justo, onde as pessoas e o seu bem-estar seriam a prioridade dos governantes, onde os direitos à habitação, ao ensino, à saúde e ao emprego estariam na linha da frente das preocupações do poder político. 

A Liberdade não se esgota na liberdade de expressão, e o 25 de Abril não se esgota por aí. O campo dos direitos essenciais e duma sociedade melhor e mais justa, é o calcanhar de Aquiles dos que reduzem esta data a palavras ocas, discursos vazios e promessas nunca cumpridas. 

Eu nunca estaria ao lado deles na comemoração desta data, porque eles estão nos antípodas dos ideais de Abril como se pode constatar pelas medidas que têm tomado. A hipocrisia política é simplesmente detestável.

Nota: Este foi o post que eu fiz há exactamente 1 ano.


Sem comentários: