sexta-feira, setembro 07, 2012

ESTÁ DECLARADA A GUERRA

O governo declarou hoje guerra aos trabalhadores, reformados e pensionistas ao vir agravar a vida a todos nós, reduzindo os rendimentos da maioria das famílias portuguesas.


Sem qualquer racionalidade, um governo absolutamente incompetente e culpado pela recessão que estamos a atravessar, tenta justificar esta redução forçada dos rendimentos do trabalho como uma receita para o aumento do emprego, como se a recessão não fosse ela mesma resultado da quebra do consumo.

Não acreditamos que exista tão grande incompetência, pelo que é consensual que Passos Coelho não governa tendo em conta os interesses e bem-estar da maioria da população portuguesa, mas sim de uma parte que está e sempre esteve a salvo da austeridade.

Não é possível aceitar mais austeridade e mais injustiça. Cavaco Silva vai ter que ser consequente com o que disse recentemente, “só se podem considerar para acréscimos de sacrifícios aqueles que não os suportaram até ao momento”.

Sem esperar que o governo ou o Presidente da República se preocupem em mostrar que estão ao serviço dos portugueses, temos que ser nós a fazer tudo o que é possível para acabar com um poder que já não pode reclamar qualquer tipo de legitimidade.

TEMOS QUE DERRUBAR ESTE GOVERNO!


««« - »»»
Humor - Saque de Cartola

3 comentários:

JotaB disse...

Aconteceu na Islândia

“A negativa do povo da Islândia a pagar a dívida que as elites abastadas tinham adquirido com a Grã Bretanha e a Holanda gerou muito medo no seio da União Europeia. Prova deste temor foi o absoluto silêncio na mídia sobre o que aconteceu. Nesta pequena nação de 320.000 habitantes a voz da classe política burguesa tem sido substituída pela do povo indignado perante tanto abuso de poder e roubo do dinheiro da classe trabalhadora. O mais admirável é que esta guinada na política sócio-económica islandesa aconteceu de um jeito pacífico e irrevogável. Uma autêntica revolução contra o poder que conduziu tantos outros países maiores até a crise atual.
Este processo de democratização da vida política que já dura dois anos é um claro exemplo de como é possível que o povo não pague a crise gerada pelos ricos.”

Ouvir em: http://www.youtube.com/watch?v=lNt7zc6ouco

São disse...

De Cavaco não espero rigorosamente nada, já que foi ele o primeiro a atacar a função pública.

Irá assinar tudo quanto Passos e Portas entenderem e , depois, fará o que fez com Sócrates; virá dizer que os seus avisos não foram escutados e que houve dolo da parte do Primeiro-Ministro´- tanto mais que não gosta nem de Passos nem de Portas!


A resposta a esta Deaclaração de Guerra ao Trabalho escrevi-a logo ontem no "são"

Bom final de semana

maceta disse...

do Cavaco? não, ele lê a mesma economia que esta pandilha; precisam é de emigrar já!

cumpts