domingo, julho 01, 2012

REVISITAR AS COBERTURAS DA BATALHA

Ao ouvir ontem o programa da TSF, “Encontros com o Património” pude recordar uma visita única para a qual fui convidado por um amigo que trabalhava no Mosteiro da Batalha, e que nunca mais esqueci. 

O motivo desta recordação prende-se com as afirmações dum senhor que já foi subsecretário de Estado da Cultura, se não estou em erro, e que agora é director de uma direcção geral que tem a tutela daquele monumento, que estava errada. 

Segundo Elísio Sumavielle, estão previstas visitas às coberturas do Mosteiro da Batalha, a partir do próximo ano, e que segundo o mesmo o público nunca teria visto. 

Na realidade eu visitei as coberturas do Mosteiro da Batalha, inserido num grupo de cerca de 30 pessoas há cerca de 28 anos, acompanhado por um funcionário do mosteiro, que nos foi falando sobre diversos pormenores como por exemplo os vitrais, as gárgulas, um varandim sobre as Capelas Imperfeitas, etc. 

Nunca mais me esqueci dos enormes telhões em pedra que cobrem a nave da Igreja, nem da Torre do Relógio e o som do seu relógio, que já não ouvi em visitas feitas posteriormente. Recordo-me bem que o grupo acedeu às coberturas por um torreão situado junto da fonte próxima do Refeitório dos Frades. 

Pelos vistos ninguém informou devidamente o senhor diretor-geral, e se calhar ainda querem colher a autoria da ideia, que alguém já teve há quase três décadas. Mesmo assim asseguro-vos que uma visita às coberturas daquele monumento vale mesmo a pena, sobretudo para quem o conheça relativamente bem. 

*

4 comentários:

Anónimo disse...

É verdade. As visitas às coberturas foram ensaiadas no tempo do dr. Sérgio Guimarães de Andrade e eram realizadas apenas ao fim-de-semana e com marcação, para um número limitado de pessoas. Eu tive o prazer de as fazer e posso dizer que foram um sucesso tremendo naquele Verão. Não sei porque é que não continuaram pois eu, entretanto mudei de local de trabalho.
Palaciano

maceta disse...

já o visitei várias vezes, mas as coberturas nem sabia que era possível.

cumpts

O Guardião disse...

É possível no Verão, sem chuva, pois torna-se escorregadio devido à sua inclinação. É totalmente diferente daquilo a que estamos habituados e estou desejoso de repetir a visita logo que elas comecem.
Cumps

São disse...

Desconhecia por completo essa hipótese, embora já tenha visitado o mosteiro várias vezes.

E se é escorregadio , podem fazer o que os catalães fizeram na Catedral de Barcelona: passadiços de madeira.

Tudo de bom