quarta-feira, junho 27, 2012

PEDIR RESPONSABILIDADES

A Segurança Social dos portugueses está em perigo, apesar de se continuar a pagar as contribuições devidas e de ainda não existir nenhuma baixa da Taxa Social Única, de que tanto se falou no início desta legislatura. 

Os portugueses perguntam-se das razões da falência da S.S., e das afirmações sucessivas por parte dos economistas, dizendo que a S.S. tal como a conhecemos até agora, está condenada para sempre. As razões que os especialistas nos atiram para a frente prendem-se com o desemprego, e com os valores elevados (?) de boa parte das pensões. 

A verdade é contudo bem diferente, e tem mais que ver com os fundos de pensões absorvido pelo Estado, sem que a S.S. tivesse sido compensada com os valores desses fundos. As batotas feitas nas contas do défice, à custa dos fundos de pensões de alguns sectores, estão agora a pesar mais na despesa da S.S. do que os gastos com o RSI ou as pensões de idosos. 

A engenharia financeira da responsabilidade de alguns ministros das Finanças é a responsável pelos maus resultados de hoje da nossa Segurança Social, e não se pode dizer que este resultado não tivesse sido previsto, pois foram muitos os que logo na altura fizeram os devidos alertas. 

Passos Coelho e Vítor Gaspar bem podem ser “agraciados” e “elogiados” pela troika, mas deviam ser responsabilizados (juntamente com outros) pela destruição da Segurança Social, defraudando assim milhões de portugueses que passaram uma vida de trabalho a descontar para agora serem confrontados com a falência do sistema, que não está assim tão longe.

««« - »»»
Humor e Dúvida
Ser ou não ser, eis a questão!

««« - »»»
Fotografia de Amigos
A Subida by Palaciano

4 comentários:

São disse...

Gaspar e Passos e Relvas e Portas estão a destruir os direitos adquiridos no 25 de Abril; trata-se tão só de um ajuste de contas.

Mas se a bendita Selecção ganhar mais alguma coisa, o mundo nos respeitará, segundo a iluminada Galp

Bom serão

Anónimo disse...

Não se tratam de erros de gestão, ou de consequências indesejadas de erros do passado, mas sim de uma estratégia deliberada para acabar com o Estado social. Não são meros erros são decisões perfeitamente calculadas e intencionais, pelo que a condenação seria líquida se a Justiça existisse neste país.
Bjos da Sílvia

Metalurgia das letras disse...

O pior é que acabamos de perder para a Espanha amiga São...

Pata Negra disse...

O ataque à segurança social é de tal modo porco que nós, leittões temos de nos organizar. Já não basta constatar aquilo que toda a gente vê, é preciso enquadrar as marchas de razão. Ponto 1: a rua.
Um abraço junto com outros alguns que pensam como nós