terça-feira, junho 26, 2012

OS RODRIGUINHOS DO GASPAR

A frase do dia, proferida por Vítor Gaspar: 

“Não existe uma espiral recessiva. Bem pelo contrário. O processo de ajustamento está a decorrer mais rápido do que se previa. É verdade que a evolução da despesa agregada dos agentes não favorece a receita do IVA. Mas os custos do trabalho estão a diminuir mais rapidamente do que se antevia, embora tal evolução tenha óbvias consequências na quebra das contribuições para a Segurança Social.” 

É formidável que o senhor ministro das Finanças venha dizer que não há nenhuma espiral recessiva, e depois venha dizer que a baixa nos salários e o baixo poder de compra dos assalariados deste país é que são os responsáveis pela quebra na arrecadação de impostos. 

Será que as políticas de austeridade impostas pelo governo, com cortes nos salários e com o aumento de impostos não forçam esta espiral recessiva? Esta quebra nos impostos cobrados, o aumento do desemprego e a baixa das contribuições para a Segurança Social não são a consequência lógica das políticas seguidas? 

Um destes dias ainda ouvirei da boca de Vítor Gaspar que está surpreendido pela continuação da subida do desemprego, com o aumento da emigração e com a quebra das receitas dos impostos. 

Salta um encharcado para a mesa da ponta!

 

3 comentários:

Metalurgia das letras disse...

Tenham cuidado para que a espiral do "Gaspar" não acabe por sugar mais o sangue sofrido dos Portugueses.

São disse...

Gaspar é parvo ou faz-se? Ou julga que nós é que somos estúpidos?!

Boa semana

Anónimo disse...

E pensar vque há quem vote em gajos destes...
Lol

AnarKa