quarta-feira, novembro 30, 2011

UM ERRO COLOSSAL

Os problemas da economia europeia têm sido sistematicamente combatidos pelos governos com a redução significativa de salários e de direitos, sempre acompanhada por um aumento de impostos.

Até hoje ainda não houve nenhum país onde isto resultasse num aumento de produtividade, ou diminuição do desemprego. Como costuma dizer um amigo meu que é economista, isto é como o doente a quem vão solucionando o mal recorrendo a amputações, que depois o transformam num ser incapaz de se valer a si próprio e incapaz de produzir o que quer que seja.

Os governantes e as suas claques partidárias ficam muito irritados com a indignação e revolta que vai aumentando nos cidadãos, mas não conseguem convencer-nos de que existam no Orçamento de Estado para 2012, medidas que promovam o crescimento e o emprego, condições indispensáveis à melhoria do nível de vida dos portugueses, que deve ser a missão dos políticos.

Os cidadãos querem melhorar as suas condições de vida e necessitam de ganhar esperança no seu futuro, mas o governo só sabe anunciar sacrifícios e não dá nenhuma esperança, nem aponta nenhum horizonte realista para a inversão das políticas recessivas.

««« - »»»
Foto - Os Cortes
By David Caballero
««« - »»»
Humor Poluente

6 comentários:

São disse...

talvez seja melhor os governantes e seus apoiantes mandarem fuzilar os respectivos povos...

Um abraço

COR@ÇÂO DE MINAS disse...

"Gostaria de ver cortá-los a própria carne" Seus salários nunca diminuem...

Anónimo disse...

Como podem invocar questões de produtividade, ao aumentarem em meia hora a jornada de trabalho, e ao mesmo tempo não apresentarem nenhuma medida de apoio ai crescimento e ao desemprego? A agenda deste governo é clara: proteger quem mais tem à custa dos que menos possuem.
Bjos da Sílvia

O Puma disse...

.... entretanto...

não se pode mudar de povo

zeparafuso disse...

Com a globalização....era de esperar que os politicos defendessem um povo, que sendo português de nascimento seja federalista europeu por obrigação? ( imposição)
Cumprs.

Pata Negra disse...

Acho graça ao senso comum que concorda: mas se não há dinheiro?!
E eu respondo-lhes: ganho pouco dinheiro a vender as maças a um euro, ganharei mais a vendê-las a cem euros?! Eis o erro!
Um abraço por um Portugal inteligente