segunda-feira, novembro 14, 2011

A BANCA E O LUCRO

Há quem caia na estratégia bem montada pelos defensores do liberalismo, que consideram que o que é privado é virtuoso e forçosamente melhor para o colectivo, mas aos poucos vão sendo cada vez menos.

Todas as sociedades quando se vêem ameaçadas viram-se inevitavelmente para o que é público em busca da protecção para a qual contribuem, e é o que é mais racional. O que é privado, exactamente pela sua natureza, visa apenas o lucro e não o bem comum.

Para quem possa andar distraído, ou iludido com discursos liberais, basta olharem com olhos de ver para a reacção dos nossos banqueiros, que agora estão preocupados com o lucro que o Estado possa vir a arrecadar com a ajuda aos bancos no seu financiamento.

Ainda há poucos meses atrás, a banca lucrou balúrdios com a compra de dívida pública, e não me consta que tenha sido relutante em lucrar com esse negócio, mas agora que o fluxo de capitalização vem na direcção inversa, estão muito preocupados com o que o Estado possa vir a lucrar com o negócio.

Esta é a verdadeira relação do capital privado quando se relaciona com o Estado, pelo menos aqui em Portugal, e não vale a pena deitarem paninhos quentes no assunto. Os cidadãos só são enganados se quiserem, porque a realidade está à vista de todos.

««« - »»»
Humor Chupista

4 comentários:

Anónimo disse...

Eles querem um empréstimo a fundo perdido, e com o Passos Coelho vão conseguir.
Lol

AnarKa

Daniel Santos disse...

querem empréstimos e querem definir os termos... pois...

maceta disse...

e se puderem cravar a unhaca para comer o que é público ( comum ? ) não hesitam... predadores.

cptos

Vieira Calado disse...

Pois, meu caro.

Mas parece que muitos dos cidadÕes

fazem luxo em serem enganados...

Forte abraço