sexta-feira, outubro 21, 2011

O QUE SE OUVE

Há mais de um ano que andamos a dizer que as políticas que estão a ser utilizadas são de carácter recessivo e que só nos conduzem cada vez mais para o fundo do poço, onde já está a Grécia. Já era verdade quando se criticavam os PEC’s, e é cada vez mais verdade com o cumprimento das medidas impostas pela troika.

Agora já ouvimos da boca de responsáveis do PS, do Presidente da República, e até de Manuela Ferreira Leite os mesmos receios. Por alguma razão que me escapa, só falta ouvir da boca deles que é imperioso renegociar a dívida, alargando os prazos, porque são demasiado curtos, e talvez até pedindo algum dinheiro para promover o crescimento, que é uma falha deste tipo de programas.

Claro que temos os chamados duros, que falam em coesão nacional, quando defendem cortes selectivos a certos grupos profissionais, e a pensionistas, mesmo quando falamos de pessoas com rendimentos de 500 ou 600 euros. Esgadanham-se na defesa do executivo, sem darem eles próprios o exemplo e sem se preocuparem com a legalidade e com a justiça social.

Deviam estar todos muito preocupados com o desemprego, não com colocarem lá fora as sedes dos seus negócios, e com a sua contribuição nesta altura difícil, e não com a dos outros, que podem menos do que eles. Há muita gente a precisar de ajuda, e não será com cortes salariais e mais desemprego que poderemos manter as ajudas sociais, e o apoio solidário e familiar que vai atenuando as necessidades de cada vez mais gente.

««« - »»»
Fotografia Artística


««« - »»»
Humor Adaptativo

6 comentários:

BlueShell disse...

As ilustraçõs estão a combinar! Realmnte...cortar nos salários, despedir pessoal do quadro...tenho as minhas dúvidas...e muitas. Enqanto isso...os grandes colocam as empresas no estrangeiro, as receitas por lá ficam e por cá...que se @£"#"#"@ é memso o povinho.

Abraço...
de concha

Anónimo disse...

O exemplo que vem de cima é miserável e só "baixa as calças" quem é cobarde.
Lol

AnarKa

Pata Negra disse...

Já não os ouço, estou a limpar as armas e, no campo de batalha, não precisarei de ouvir os discursos políticos, quero apenas notícias da guerra e chegar à vitória!
Um abraço pronto a morrer com o último tiro da última batalha

LopesCa disse...

Como sempre boas imagens com um bom artigo ;)

maceta disse...

o curioso é que os grandes defensores não levam com cortes nem roubos nas carteiras, basta fazer uma lista...
cpts

elvira carvalho disse...

Eles cortam tudo à gente, mas eles têm a barriga cheia, e a carteira sem cortes.
Um abraço