segunda-feira, outubro 24, 2011

NACIONALIZAÇÃO

O 1º ministro acabou a semana de modo deplorável, fazendo declarações além fronteiras que nos parecem incoerentes, sobre a recapitalização da banca nacional.

O recurso da banca ao fundo de resgate de 12 mil milhões de euros já está previsto há algum tempo mas nunca existiu nenhuma previsão que se assemelhasse a qualquer nacionalização dos bancos. Não se compreende que Passos Coelho tenha invocado esta figura, quando quis sossegar os banqueiros nacionais.

Incompreensível também foi a declaração de que caso a banca venha a recorrer ao tal fundo de resgate, o Estado será um “accionista passivo” ou “silencioso” como alguma imprensa veio a veicular. Não existem accionistas de referência, ou com algum peso, que se eximam de exercer os seus direitos, qualquer pessoa o sabe, e abdicar disso é uma tolice que é inimaginável no mundo dos negócios.

PS: Numa conversa de café, ouvi esta teoria interessante: Passos Coelho utilizou o termo “nacionalização” ao referir-se à banca que tivesse que recorrer aos 12 mil milhões, porque se lembrou que tinha acabado de nacionalizar os subsídios de férias e de Natal dos funcionários públicos. É uma boa reflexão que aqui vos deixo, também.

««« - »»»
Foto - Flor Solitária


««« - »»»
Humor e Hierarquia

6 comentários:

maceta disse...

este PM é muito "perigoso" por denunciar uma falta de consistência ...alem das outras faltas.

Anónimo disse...

Nacionalizaram a minha reforma, bem podem nacionalizar a banca parasita que temos...
Lol

AnarKa

Daniel Santos disse...

muito bem observado.

São disse...

Claro que concordo!

Serenos sonhos.

MARIA disse...

Olá meu amigo,as suas análises são sempre muito lúcidas e especiais.

Um beijinho amigo

Kaos disse...

Vou roubar o boneco
Abraço
kaos