terça-feira, setembro 06, 2011

TUDO DO AVESSO

Portugal enfrenta uma situação difícil, todos o sabemos, mas os sinais vindos do lado do poder, político e económico, continuam a ser os mesmos dos tempos de desafogo económico.

Veja-se o que se passa com as más contas públicas, e constate-se que não há um único indivíduo que tenha passado pelo poder que esteja a ser investigado, ou tenha sido acusado de gestão danosa de dinheiros públicos. Por contraponto veja-se que na Islândia temos um ex-primeiro-ministro que está a ser julgado por possível negligência.

No estrangeiro vemos gente muito rica a pedir para ser mais taxada para contribuir na medida das suas posses para ajudar os seus países, e por cá temos os nossos ricos a assobiar para o ar e a declararem que são meros trabalhadores.

Ouvir um ex-representante dos industriais portugueses dizer que existem mais de 100 mil funcionários públicos excedentários, quando os serviços se debatem na sua generalidade com falta de pessoal, e numa altura em que o desemprego é um flagelo social, indigna.

Indigna saber que se fazem cortes na saúde, forçando a diminuição da qualidade dos cuidados de saúde, quando existem casos vergonhosos como o do BPN, da Madeira e tantos outros, que serão pagos com o dinheiro dos nossos impostos, ainda que em nada tenhamos contribuído para o assunto.

Temem a nossa indignação, a que preferem dar o nome de tumultos, mas não hesitam em fazer no poder aquilo que condenaram quando estavam na oposição. Os cidadãos erram nas escolhas, mas os políticos é que decidem, e têm decidido muito mal, como é mais do que evidente.  

««« - »»»
Foto - Camões e Boa Mesa em Cascais
 By Palaciano
««« - »»»
Humor - Entrevista
Jornalista e Boy

2 comentários:

Anónimo disse...

Está correcto: estão a criar emprego como cobrador...e cangalheiro.

LUIZ

Anónimo disse...

Se os malandros desta terra fossem para a cadeia, então a construção civil tinha muito trabalho.
Bjos da Sílvia