segunda-feira, julho 04, 2011

A VERDADE E OS POLÍTICOS

Em Portugal chega-se a pensar se não existe uma incompatibilidade absoluta entre a verdade e os políticos portugueses, porque o que hoje é verdade amanhã deixa de ser.

Há uns anos, poucos, tivemos um 1º ministro que depois de dizer que não haveria aumento de impostos, mas poucos dias depois lá aumentaram os impostos. Os seus adversários vieram imediatamente a terreiro denunciando a mentira.

Poucos anos passados e lá se repete a cena e agora foi outro 1º ministro, de outra cor política. Não sei se é algo inerente ao cargo, mas a mentira foi do mesmo calibre, e a acreditar nas palavras anteriores do actual governante, o aumento de impostos é um disparate.

A mentira dos políticos e a vacuidade dos seus discursos talvez tenha algo que ver com a picada da “alforreca”, que já foi referida por alguém, ou com a “confiscação” que também um outro invocou. Pode ser que a alusão ao Pinóquio possa ter entrado em desuso, mas lá que os políticos estão a precisar de um Grilo Falante, lá isso estão.
««« - »»»
Humor Narigudo

3 comentários:

Graça Pereira disse...

Há palavras que um político não tem no seu vocabulário...por tradição, por conveniência...ainda não entedi!
Vou esperar sentada, a ver se alguem me explica!
Bj e uma boa semana.
Graça

Anónimo disse...

O novo acordo ortográfico é uma porcaria porque ainda não prevê a equivalência entre as palavras POLÍTICO e ALDRABÃO.
Lol

AnarKa

Anónimo disse...

De disparate em disparate até chegar lá ao fundo.
Bjos da Sílvia