sábado, julho 23, 2011

ANTERO

Quando tanto se fala de intervenção cívica e de participação dos cidadãos na vida política do país, talvez fosse útil uma leitura da obra de Antero de Quental para se perceber que os tempos que passamos não suscitam de todo questões novas.

Tal como transparece das ideias de Antero, é imperiosa a defesa do primado da ética sobre a economia, pois ela é a principal determinante da libertação dos seres humanos. Tal com Proudhon advogava, “ o mundo só pela moral será libertado e salvo”.

Ao contrário de muitos, Antero que era considerado um anarquista, não advogava a fúria revolucionária, mas sim um radical voluntarismo baseado na educação das mentalidades e sustentado pelo ideal da fraternidade.

O pensamento moral de Antero, que nem era religioso, revela-nos um personagem dominado pela ética e votado ao respeito da consciência individual, que se pode perfeitamente conotar com o socialismo.

Saliento que ele condicionava a mudança social a uma prévia pedagogia capaz de desenvolver nas consciências individuais o desejo da prática do bem, no intuito de “ fazer reinar a Justiça na esfera dos interesses e, por esse meio, nivelar as classes, levantar os oprimidos, suprimir a miséria, chamar as multidões à vida da inteligência, da dignidade, do bem-estar e da moralidade”.

A obra e artigos político-filosóficos de Antero de Quental merecem ser revisitados nas férias de Verão.

««« - »»»
Foto - Alterações

««« - »»»
Humor - O Desvio

6 comentários:

tulipa disse...

Começo por agradecer a simpática visita que fez ao meu blog.
Tem toda a razão no seu comentário.

Às vezes temos que aprender a saber ocupar o tempo, para perceber as inúmeras belezas que existem à nossa volta!

Gosto sempre da sua sessão de imagens de humor; não fosse eu uma apaixonada por fotografia, adoro as fotos que coloca de flores.

Bom fim de semana.
Abraço.

Anónimo disse...

Antero resistia ao status quo vigente e ao procurar soluções fora do sistema foi considerado um anarquista, o que é ridículo pois advogava a moral e a ética na política o que para alguns é uma utopia. Um tema interessante.
Bjos da Sílvia

Graça Pereira disse...

Necessito de facto de ler e rever Antero, a quem dou razão em muitos pontos de vista que ele defendia...sem ética e sem moral...não iremos longe! Já temos provas de que assim é!
O humor...está óptimo!
Bj
e bom domingo.
Graça

São disse...

Por alguma razão, Antero se matou...

Tudo de bom

Anabela Jardim disse...

Boa dica! Para mim será uma leitura de inverno ...
Bela foto, aliás como todas as outras que você tem escolhido para postar.

maceta disse...

um utópico honesto e apesar de não ser religioso (?) vale a pena ler o seu soneto lindíssimo "Á Virgem Santíssima" - um rasgo de talento...