quarta-feira, maio 25, 2011

O PODER DO VIL METAL

Uma notícia do jornal francês Libération é talvez o exemplo acabado do poder do dinheiro e das fragilidades da justiça em qualquer parte do mundo.

Segundo se lê neste jornal, a defesa de Dominique Strauss-Kahn prepara-se para tentar convencer a família da presumível vítima, a aceitar uma choruda quantia para retirar a acusação que pende sobre o antigo homem do FMI.

Quando se chega a este ponto, torna-se evidente que não se tratou de nenhuma manobra política, ou de qualquer outra natureza, que esteve na origem da prisão de DSK, mas sim algo que o dito fez e que resultou na sua acusação.

Apesar de nos EUA a justiça ter funcionado com a celeridade necessária, a verdade é que os dispendiosos advogados de DSK e o dinheiro à sua disposição, podem vir a transformar este caso num fiasco, pois é possível que um acordo resulte na retirada da acusação por parte da vítima, e na falta de castigo para um possível crime.

Tal como os modernos e sofisticados detergentes, também o dinheiro pode lavar mais branco!

««« - »»»
Humor e Poder

««« - »»»
Foto de Flor

3 comentários:

Anónimo disse...

E assim se safam os patifes com muito dinheiro no bolso. É nojento.
Bjos da Sílvia

Graça Pereira disse...

Por todo o lado, o dinheiro é que dita as leis. Justiça? Onde?
Tudo se compra até a alma de quem nunca devia deixar-se vender!
Bj
Graça

Pata Negra disse...

Isto é, o Fundo Monetário Internacional não existe só para condenar países pobres, também pode servir para salvar violadores ricos! Continuo na minha, se a justiça o tivesse prendido por ter sido director de uma organização mafiosa - FMI - nada disto tinha acontecido!
Um abraço poderoso e sem metal