domingo, maio 29, 2011

O MEU VOTO

Chegados à última semana da campanha eleitoral importa reflectir um pouco sobre o que se me deu ver e ouvir por parte dos candidatos e por parte da comunicação social.

Considerando que a campanha começou oficialmente logo a seguir à assinatura do documento elaborado pela troika (UE, BCE e FMI), esperava-se que esse fosse o tema central de toda a campanha. Apesar de terem sido três os partidos que assinaram aquele documento, a verdade é que tirando o episódio da Taxa Social Única, não se falou mais do assunto.

É simplesmente inacreditável que não se fale do verdadeiro programa de governo para os próximos anos, e que os partidos signatários se esquivem ao assunto. A falta de esclarecimentos aos eleitores é ainda mais estranha se tivermos em atenção o incidente dos dois documentos conhecidos, que pelo menos dois dos partidos dizem desconhecer, mas que o outro diz que foi do seu conhecimento.

Na realidade, se for algum destes partidos que ganhe as eleições, ou uma combinação em que eles entrem, quem de facto vai governar o país é a troika por interpostos ministros portugueses.

Por esta e outras razões, que se prendem com o que esses partidos fizeram em governos anteriores, uma coisa para mim é certa: não votarei nem no PS, nem no PSD, nem no CDS, e desta vez não irei votar em branco, como tem sido a minha norma. Desta vez o meu voto vai ser um voto expresso numa formação partidária.

««« - »»»
Foto - Flor
By Palaciano
««« - »»»
Humor - Vidas do Avesso
1.189

1 comentário:

Anónimo disse...

Gostava de concordar contigo, mas como sabes sou anarquista e não dou o meu voto a ninguém.
Lol

AnarKa