quarta-feira, maio 11, 2011

DEPENDÊNCIA

Uma das coisas que intrigou muita gente foi o facto de os bancos terem estado, durante muito tempo, na mesma onda de José Sócrates, negando a necessidade de uma ajuda externa, e a determinada a altura terem sido eles a impor essa necessidade ao governo.

O discurso dos mais altos quadros dos bancos nacionais tem sido sempre o de estarem a ser penalizados por causa da dívida pública nacional, com a qual têm lucrado bastante, mas desvalorizaram sempre a sua grave situação de incapacidade de financiamento externo, mesmo agora que a troika está prestes a viabilizar um pacote de ajuda.

As agências de rating, que eles tanto respeitam, estão agora a dizer umas quantas verdades incómodas para os gestores da banca nacional. Para começar duvidam que a dependência do BCE vá diminuir neste e no próximo ano, mas continuam dizendo que a banca nacional pode levar Portugal a novo corte no rating caso as suas necessidades financeiras sejam superiores às estimadas pela troika.

Como se depreende pelas notícias veiculadas pela Fitch e pela S&P os nossos bancos privados não estarão tão saudáveis como nos querem fazer crer, e são parte do problema do país e não são parte da solução como gostam de se intitular.

««« - »»»
Humor Económico
Pawel Kuczynski
««« - »»»
Foto - Felino
Gato by Palaciano

2 comentários:

Anónimo disse...

Nós pagamos para encher a barriga a pançudos, sejam eles banqueiros ou políticos.
Lol

AnarKa

São disse...

Pois é, eles comem tudo e nada sobra...

Já leu"Os Donos de Portugal"? Eu já.

Tudo de bom.