sexta-feira, maio 13, 2011

AS FACÇÕES DOMINANTES

Se o Estado é a instituição destinada à procura eficiente do bem público, acima do egoísmo dos particulares, sobretudo dos egoísmos mais poderosos, então o Estado, em Portugal, há muitos anos que deixou de existir na plenitude da sua vocação. Foi capturado por uma poderosa facção de interesses, que se apoderaram do PS e do PSD.
Viriato Soromenho Marques

Aconselho vivamente a leitura do artigo de opinião de VSM publicado no DN de 12/5/2011, que subscrevo na sua globalidade. O único reparo que me surgiu na sua leitura, prende-se com o facto de ter preterido “classe(s) dominante(s)” em favor de “facções de interesses” que no fundo acabam por ter a mesma leitura.

««« - »»»
Foto - Escarpa
By Palaciano
««« - »»»
Humor - Mentiroso e Explorador

3 comentários:

Anónimo disse...

O poder corrompe, e o poder nos nossos dias é consubstanciado pelo dinheiro.
Lol

AnarKa

opolidor disse...

os glutões são cáusticos e implacáveis e não importa quem trucidam....
e vergonha é coisa que não conhecem.

Pata Negra disse...

Ao Estado a que nós chegámos: até a água é privada, a agricultura é espanhola, o mar é das quotas, farrapos do nosso exército no Kosovo e no Afeganistão, a educação é Parque Escolar, a justiça é face oculta, a saúde é insustentável e a troika é inevitável! E como se não bastasse as sondagens votam por si: estamos lixados!
Um abraço português