sábado, abril 09, 2011

QUAL MONSTRO?

Quando lemos declarações de Pedro Passos Coelho (PPC), ouvimos invariavelmente o líder do PSD dizer que temos um Estado gigantesco. É sempre discutível fazer afirmações desta natureza, até porque se tivermos como termo de comparação apenas os outros países da União Europeia, nós até estamos a meio da tabela.

Eu sei que ao se trazer à ribalta o tamanho da coisa pública, se quer falar do peso do Estado na economia, mas aí o se está efectivamente a evidenciar é a absoluta inépcia de grande parte da classe política, ainda que se tente esconder a verdade.

A realidade costuma ser implacável, e neste caso desmente categoricamente PPC, e a própria Comissão Europeia, que além de preconizar o emagrecimento dos Estado, também nos fornece os números que deitam por terra essa teoria. Veja-se por exemplo que a nossa dívida externa é de quase 400 mil milhões de euros, (233% do PIB), e que o Governo deve cerca de 26% e os bancos 55% do total.

Há sem dúvida muita má gestão em organismos do Estado, e muitos jobs for the boys, que devem acabar, mas a responsabilidade é inteirinha dos senhores que tão mal nos têm governado, e aí tanto PS como PSD são os culpados.

Passos Coelho é a voz nacional do senhor Jean-Claude Juncker  e está disposto a privatizar a eito e a entregar grande parte do dinheiro (80 mil milhões) à banca, que não nos esquecemos, lançou o ultimato ao Governo para pedir a ajuda externa, ameaçando cortar o crédito ao Estado.

««« - »»»
Foto - Lilases

««« - »»»
O Meu Mau Humor

4 comentários:

Pata Negra disse...

Esses senhores de tanto serem contra o Estado começam a levantar suspeitas se, de facto, não serão bem assalariados de grandes grupos privados. Porque, se acham, que o Estado não deve ter um papel económico-social, então revelem-se e digam: - queremos acabar com Estado e como exemplo assumam:
- Nós não somos pagos pelo Estado!
Um abraço do estado a que isto chegou

valquiria calado disse...

•*♥ڰۣ¸.•*♥ڿڰۣ✿ڿڰۣ¸.•*♥ڿڿ•*♥ڰۣ¸.•*

Sobre o amor

Fácil de acontecer, difícil é descrever.
Amar é sentir sem querer, é querer sem perceber.
Fugaz ou duradouro, não importa o tempo, o que vale é o sentimento.
Que o eterno seja pra sempre, mesmo que seja breve.
Sobre o amor é tudo que não sei, daquilo que já sei.

Fim de semana de luz e paz,
abraço.

ڿ•*♥ڰۣ¸.•*♥ڿڰۣ✿ڿڰۣ¸.•*♥ڿڿ•*♥ڰۣ¸.•*♥ڿڰۣڿڰۣ

Brasileiros enlutados ♥♥♥♥♥♥♥♥♥...


ڿ•*♥ڰۣ¸.•*♥ڿڰۣ✿ڿڰۣ¸.•*♥ڿڿ•*♥ڰۣ¸.•*♥ڿڰۣ

Cata- Vento disse...

Continuo inflexível na minha posição embora haja quem diga que seria um mau exemplo para a democracia.Mas os bons exemplos que frutos têm dado?O momento é dramático, os dois maiores partidos já deram provas da sua governação, más, e fazer um governo de iniciativa presidencial pouparia muito dinheiro ao Estado.Temos gente competente para formar uma boa equipa. Eu defendo igualdade de oportunidades para todos e não apenas para "boys and company". Depois, pelo andar da carruagem, estamos mesmo a ver quem vem lá dentro.
Bem-hajas, Guardião!

Abraço fraterno

Anónimo disse...

O poder corrompe e a gula dos partidos que partilharam o poder continua insaciável.
Bjos da Sílvia