terça-feira, março 22, 2011

O PACOTE POUPADINHO

No famigerado PEC IV que o governo Sócrates entregou no Parlamento vem uma proposta para adesão voluntária por parte de quem receba rendimentos do Estado. Esta medida que, segundo o governo, visa “simplificar e facilitar a poupança” e “torná-la o mais acessível possível”.

É preciso um grande descaramento para depois de sacrificar constantemente os funcionários públicos, vir agora este governo dizer que quer incentivar os seus funcionário ao “denominado Plano de Auto-Poupança individual”.

Poucos saberão que há milhares de funcionários que recebem vencimentos baixíssimos, da ordem dos quinhentos e picos euros, até aos mil euros, que têm visto os seus vencimentos serem comidos pela inflação e pelos congelamentos salariais cegos. Nem todos recebem acima dos 1.500 euros como alguns pretendem fazer crer, infelizmente.

É triste, indecente até, que se usem estratagemas para dum modo ou de outro o governo vir a abocanhar o 13º ou o 14º mês, para agradar à madame Merkel e companhia. Poupança implica alguma folga nos orçamentos de cada um, e com salários baixos como os que por cá se praticam, é uma miragem, mas há quem feche os olhos para a realidade de muitos portugueses.

««« - »»»
Formação de Protesto

««« - »»»
Artista - Amadeo

5 comentários:

Daniel Santos disse...

estamos é bem arranjados.

LopesCa disse...

Sobre politica já não digo nada :s

manjedoura disse...

eu pedia a intervenção da Nato para Portugal.

Cata- Vento disse...

Poupança? Com a inflação galopante que temos e a consequente diminuição do poder de compra dos portugueses a cada dia que passa?
Quem pede isto não conhece a realidade da maioria daqueles que governa. E que triste realidade!

Bem-hajas!

Abraço

Pata Negra disse...

Quando se castigam sistematicamente os funcionários públicos perdem-se alguns votos mas ganham-se muitos mais. Eles descobriram o filão.

Um abraço ao bando do céu cinzento