quarta-feira, fevereiro 16, 2011

FOI SOL DE POUCA DURA

No passado dia 6 deste mês, sob o título “Idiotas úteis”, referi que havia quem estivesse demasiado contente por poder estar afastado o perigo de se ter de recorrer ao FMI, devido ao problema do financiamento externo. 

Analistas e economistas nacionais embandeiraram em arco, porque confiavam que o Fundo Europeu de Estabilização Financeira, era uma saída certa e vantajosa para Portugal.

Passaram apenas 10 dias, os juros da dívida aumentaram e estão em níveis insuportáveis, o FEEF só estará reforçado e operacional em 2013, e o BCE ameaça fechar a torneira, e lá soam as campainhas de alarme, tendo mesmo sido chamado de urgência a Belém o ministro das Finanças.

Não estamos no mesmo barco da Espanha, da Itália e da Bélgica, que viram os seus juros baixarem. O nosso problema é mais grave, e podem dizer o que quiserem, mas não acredito que não esteja em cima da mesa dos mercados financeiros, a falta de credibilidade dos nossos governantes.

Pode ler também, ISTO e ISTO
««« - »»»
Humor e Depressão

««« - »»»
Foto - Emaranhado
By Palaciano

7 comentários:

Pata Negra disse...

É necessária estabilidade política?! Quanto mais tempo Sócrates se arrastar no poder mais descerá a consideração por Portugal! o facto do PSD estar interessado nesse arrastamento é dum calculismo e duma hipocrisia imperdoáveis!
Enfim!
Um abraço à esquerda

Anónimo disse...

Não vai ser com o Sócrates nem com o Coelho que o país vai conseguir ganhar credibilidade. Os partidos ou se renovam de alto a baixo ou então lá se vai a independência nacional.
Lol

AnarKa

Cata- Vento disse...

Ganhar credibilidade nos mercados financeiros não vai ser tarefa fácil nos próximos anos. Onde estão os políticos que possam levar a cabo tão difícil empresa? Não os vejo!

Bem-hajas!

Um abraço incrédulo

Zé Marreta disse...

E para aumentar a "credibilidade" dos desgovernantes já somos 750.000 desempregados.

Saudações do Zé Marreta.

MARIA disse...

Excelente publicação, muito bem complementada pelas ideias expostas pelos comentadores amigos.
Na verdade é isso. Apesar da situação ser muito grave e preocupante, tudo se conjugou no sentido de nada se alterar. Definir a melhor posição a adoptar em circunstâncias tão desfavoráveis, realmente envolve riscos que os próprios protagonistas da política partidária sabem não conseguir contornar, pelo que preferem nem arriscar ...
Complicado... tudo é muito complicado...

Um beijinho amigo

Patrícia disse...

A futura revista "Intervenção" é o reflexo do pensamento de seis jovens indignados com o panorama da sociedade.
A revista parte de uma iniciativa que tem por objectivo uma crítica àquilo que vemos mas que nos passa completamente despercebido.
Desta revista surge um blogue "Realidade Paradoxal" : realparadoxal.blogspot.com
Gostaríamos que comentasse o nosso blogue e se acha que o nosso projecto é de facto interessante, que o divulgasse.

Desde já um muito obrigado

opolidor disse...

Com Socas, "jamais" chegaremos, já não dá, mas o Coelho aperaltado não fará melhor e é ver para crer.