quarta-feira, janeiro 19, 2011

PREÇOS DOS COMBUSTÍVEIS

Os preços dos combustíveis em Portugal atingiram mais um máximo histórico, ainda que os preços do crude estejam apenas a 2/3 do seu máximo de há uns anos atrás.

Não me interessa sequer discutir os preços praticados pelo único refinador nacional, ou o dos revendedores mais importantes em território nacional. Pouco importa também discutir o facto de a Galp estar implantada em Espanha e estar a praticar lá preços bastante inferiores.

Falem dos impostos cobrados pelo Estado nos combustíveis e nem assim me convencem que as coisas tenham mesmo que ser assim, porque corremos o risco de tornar este país inviável, não importa qual seja o esforço que façamos.

Se o preço dos combustíveis refinados está demasiado alto, o governo podia aliviar os impostos, sem perder nada com a medida. Analisando o factor competitividade, quanto maior for o custo dos combustíveis, sempre reflectido no produto final, menor será a competitividade.

Se existem estes factores prejudiciais à economia em geral, há também um outro que afecta não só a economia mas também os cidadãos no seu conjunto, que é a perda geral do poder de compra que resulta da diminuição efectiva dos salários, que tem outros reflexos e acarreta enormes problemas sociais que já começam a desenhar-se.

APELO: NÓS PODEMOS MUDAR UM POUCO AS COISAS, DEIXANDO DE ABASTECER NA GALP E NA BP SEMPRE QUE POSSÍVEL.

Pode ler também ISTO
««« - »»»
Foto - Ruína

6 comentários:

São disse...

Gostaria que as doutas criaturas que nos (des)governam - a nível mundial, e mais ainda aqui - explicassem claramente como acham que as pessoas irão conseguir sobreviver.

Boa noite.

Anónimo disse...

Abastecer na Galp e na BP é continuar a permitir este roubo descarado.
Lol

AnarKa

Graça Pereira disse...

Sinceramente...tinha esperanças!!!Mas acho que começou (ou continuou) o descalabro!
Aonde iremos parar?
Graça

Cata- Vento disse...

Não tenho palavras!Avizinha-se um descalabro económico e social de consequências imprevisíveis. Medidas inéditas que são um tiroteio contínuo aos trabalhadores e à sua capacidade para organizar a gestão do lar e da família de uma forma minimamente satisfatória. Temo o caos.

Bem-hajas pelos alertas constantes.

Um abraço fraterno

Daniel Santos disse...

eu é mais Cepsa que aqui na minha zona está abaixo do 1,5 euros a gasolina.

Pata Negra disse...

Há vários anos que eu não abasteço nem na Galp nem na BP e rasgo as senhas do Modelo. Para mim esta história da escalada dos preços dos combustíveis pode ser aliviada por um governo que represente o povo, que mande na GALP e que fixe os preços de combustíveis. Ah, e já agora, se um dia tivermos um governo sério, com a prisão de certos galifões de chorudos rendimentos!
Esta coisa do preço dos combustíveis não é um escândalo e uma provocação à pacatez do povo portuguÊs!
Um abraço à pata