sexta-feira, janeiro 14, 2011

BRECHT

Louvor do Revolucionário

Quando a opressão aumenta
Muitos se desencorajam
Mas a coragem dele cresce.
Ele organiza a luta
Pelo tostão do salário, pela água do chá
E pelo poder no Estado.
Pergunta à propriedade:
Donde vens tu?
Pergunta às opiniões:
A quem aproveitais?

Onde quer que todos calem
Ali falará ele
E onde reina a opressão e se fala do Destino
Ele nomeará os nomes.

Onde se senta à mesa
Senta-se a insatisfação à mesa
A comida estraga-se
E reconhece-se que o quarto é acanhado.

Pra onde quer que o expulsem, para lá
Vai a revolta, e donde é escorraçado
Fica ainda lá o desassossego.

Bertold Brecht, in 'Lendas, Parábolas, Crónicas, Sátiras e outros Poemas'
Tradução de Paulo Quintela

««« - »»»
Foto - Iluminação
By Palaciano

««« - »»»
Humor Negro

5 comentários:

Anónimo disse...

Brecht era um revolucionário.
Bjos da Sílvia

C Valente disse...

Hoje só vemos ""Broncos""
saudações amigas ebom fim de semana

Anónimo disse...

Só luta quem tem coragem e raiva contra os opressores. Os outros são os carneiros que só alinham mais tarde, quando o caminho está aberto.
Lol

AnarKa

Maria Faia disse...

Estimado Amigo,
A minha vida profissional e associativa complicou-se de tal maneira que não tenho tido tempo praticamente nenhum para o meu blogue. E, apesar de me lembrar de todos vós, não tenho passeado por cá.
Mas, como mais vale tarde que nunca, aqui estou eu a desejar-te um ANO NOVO CHEIO DE FELICIDADE, sobretudo com muira Saúde, Amor e Paz.

Bjinhos
Maria Faia

Cata- Vento disse...

Intemporal e, por isso, sempre presente na minha mesa de cabeceira.As suas frases e textos são tiros certeiros que incomodam muita gente.

Bem-hajas!

Abraço fraterno