quarta-feira, novembro 03, 2010

OS RESULTADOS DAS PORTAGENS ELECTRÓNICAS

Há algum tempo, quando ainda se falava na possível introdução das cobranças electrónicas nas antigas SCUT’s, eu fiz incidir as minhas críticas no evidente intuito de elevar os lucros das concessionárias com um elevado custo, que era a não criação de emprego e diminuição dos custos com colocação de portais de portagem.

Recebi na altura umas quantas críticas de algumas pessoas, certamente bem-intencionadas, que me acusavam de ser contra o progresso, contra a indústria nacional, e contra a iniciativa privada. Pois bem, não respondi na altura, porque habitualmente não o faço, mas agora registo o que o tempo se encarregou de provar, infelizmente.

Nada tenho contra a inovação e o progresso, mas as portagens electrónicas não são nada de novo, e os dispositivos são importados, pelo que não vejo razão para algumas críticas. Nada tenho contra a iniciativa privada, mas neste caso verifico que o aumento de receitas é conseguido à custa de mais desemprego, menos investimento e em nada beneficia os utentes que além de pagarem os dispositivos, “quase” obrigatórios, não foram em nada beneficiados pois as portagens vão aumentando apesar do aumento notório dos lucros das concessionárias.

Por falar em empresas privadas, abra-se um parêntese para salientar que há as que aceitaram prestar serviços públicos, e que têm obrigações sociais, ou deviam ter, mesmo que impostas pelo Estado que lhes concessiona os serviços e estruturas. O Governo apenas lhes garante os lucros, que são privados, ainda que os serviços sejam públicos, o que está tremendamente errado. 
Leitura recomendada AQUI
««« - »»»
Foto - Folhas de Outono

««« - »»»
Humor Narigudo

4 comentários:

Daniel Santos disse...

se queriam por portagens que as colocassem físicas e não por porticos.

Anónimo disse...

Qual é a empresa que vende os dispositivos de cobrança, qual é? E quem são os maiorais dessa empresa, quem são? AMIGOS!
Bjos da Sílvia

opolidor disse...

alem de que sendo electrónicas não há greves, compreende-se...

abraço

manuel gouveia disse...

Os "privadíssimos" gestores agradecem e vão distribuir entre si o que agora vai ser poupado em ordenados. O que dantes sustentava alguma largas centenas de famílias vai agora para os bolsos de meia dúzia. É o progresso.