domingo, outubro 03, 2010

RUÍDO OU VERDADE?

Ser político nos dias que correm é aborrecido à brava, porque já nem se podem dizer disparates sem que a imprensa e a opinião pública nos caia em cima. Eu, se fosse o secretário de Estado Adjunto e da Saúde já teria dito isto a propósito das notícias de domingo.

Segundo a imprensa domingueira, Manuel Pizarro terá dito que a polémica sobre  a nova legislação sobre as alterações na comparticipação dos medicamentos «é ruído». Reconhece o governante que as alterações à lei vão ter um «impacto desagradável» nos doentes, mas acusa «interesses instalados» das farmacêuticas, de mais uma vez estarem a criar «ruído» em torno de uma matéria que lhes desagrada.

O senhor secretário de Estado Adjunto e da Saúde podia esclarecer os cidadãos dizendo se não é verdade que por exemplo se o Nexium que eu tenho que tomar para o estômago vai ou não duplicar de preço. Podia esclarecer se as despesas globais dos cidadãos não vão aumentar com esta medida, ao contrário dos encargos do Estado.

É que o ruído gira em torno destas questões, para além da questão dos preços, e se não é verdade, então está mesmo a haver ruído, mas se é verdade, então devia ter-nos poupado a paciência que já é muito escassa.    

««« - »»»
Foto  - Torre
By Palaciano

««« - »»»
Humor à Pinóquio

5 comentários:

São disse...

Os políticos andam desatinados mesmo!
Há um que teve o descaramento de afirmar que quem spfre mais com a crise . imagine-se, são os políticos !!

Além de tudo o que nos cai em cima, ainda temos que aturar estes disparates?!

Uma semana sem "ruídos"-

Anónimo disse...

Porque não te calas, ajudante de ajudante do chefe!
Grande Goraz.
Bjos da Sílvia

ANTONIO DELGADO disse...

Não deve ser o nariz que não se endireita: É a credibilidade, a razãa, a ética, o apromumo moral... e muitas outras coisas.

Vieira Calado disse...

E, cá quanto a mim,

também vão aumentar pró dobro

os tampões prós òvidos,

para sermos obrigados a aturá-los!

Um forte abraço

Kássia Kiss disse...

Político sofre... Além de ser um "job" aborrecido, ainda têm que aguentar ruído... E ninguém lhes admira o sacrifício!!!

P.S. O Pinóquio que se acalme. Diz-se que essas coisas têm mais a ver com o foro psicológico ;)