quinta-feira, outubro 21, 2010

LEMBRAM-SE DO CHEQUE-OBRA

Na Cultura há muitos anúncios que não podem ser levados muito a sério, não tanto porque quem anuncia seja mentiroso, mas porque este sector está no degrau inferior das prioridades do poder político.

O Cheque-Obra, anunciado com pompa e circunstância por José António Pinto Ribeiro, na altura ministro Da Cultura, que era suposto “mudar a face” do Património nacional, afinal mostrou-se um enorme flop, para não ser mais duro.

O programa está suspenso, e nem sequer chegou a ser posto em marcha em nenhum momento. Segundo palavras do secretário de Estado, “porque há uma situação que levanta questões do ponto de vista da fiscalidade”.

Como é que se fazem anúncios pomposos sem haver garantias sérias e credíveis, que depois o tempo se encarrega de desmentir? Qual o valor da palavra dos nossos políticos?

««« - »»»
Foto - Linda
Magnólia by Claude Corbin

««« - »»»
Humor - Malefícios das Tecnologias
Doddy Iswahyudi

Vladimir Stankovski

5 comentários:

Pata Negra disse...

este blog está em obras? não consigo ver quase nada. volto mais tarde.

bom layout

O Guardião disse...

Caro Pata Negra
O blog está afinadinho, mas as fotos parece que pesam um bocado para esta plataforma.
Cumps

opolidor disse...

o actual primeiro tem sido profícuo nesta matéria..
cpts

o escriba disse...

Situação muito semelhantes às tão propaladas "empresas na hora", que, na hora nem chegaram a dar os frutos anunciados...


Um abraço
Esperança

Anónimo disse...

Aldrabões que se dizem xuxalistas.
Lol

AnarKa