segunda-feira, junho 14, 2010

QUADRAS POPULARES

Forçam-me, mesmo velhote,
de vez em quando, a beijar
a mão que brande o chicote
que tanto me faz penar.
«»
Eu não tenho vistas largas,
nem grande sabedoria,
mas dão-me as horas amargas
lições de filosofia.
«»
Vós que lá do vosso império
prometeis um mundo novo,
calai-vos, que pode o povo
qu'rer um mundo novo a sério.
«»
P'ra mentira ser segura
e atingir profundidade,
tem que trazer à mistura
qualquer coisa de verdade.
«»
Enquanto o homem pensar
que vale mais que outro homem,
são como os cães a ladrar,
não deixam comer, nem comem.
«»
A vida na grande terra
corrompe a humanidade.
Entre a cidade e a serra
prefiro a serra à cidade.
«»
Eu não sei porque razão
certos homens, a meu ver,
quanto mais pequenos são
maiores querem parecer.
«»
Uma mosca sem valor
poisa, c'o a mesma alegria,
na careca de um doutor
como em qualquer porcaria.
«»
Num arranco de loucura,
filha desta confusão,
vai todo o mundo à procura
daquilo que tem à mão.


5 comentários:

Anónimo disse...

A voz dos simples quantas vezes mais sábias que as dos grandes letrados.
Bjos da Sílvia

LopesCa disse...

Ums trabalham e outros safam-se :s

opolidor disse...

as almas simples têm outra sabedoria...

Anónimo disse...

"Calai-vos, que pode o povo
querer um mundo novo a sério".
Querer, quer, mas para o alcançar tem que correr com a malta que nos desgoverna.
Lol

AnarKa

Anónimo disse...

"A mente é um capitulo ,
Capitulo vem da mente ,
Da mente vem o capitulo ,
Que capitulado nunca mente."

"Há quem o presente retribua ,
Há quem retribua o presente ,
Aquele que presente retribua ,
Retribuido sera presentemente."

"Numa rua cruzei mil ruas ,
Numas mil ruas uma cruzei ,
Numa das mil ruas uma é tua ,
Numa dessas mil ruas contigo me cruzarei." .

João Pinto - Pintarola_56@hotmail.com