terça-feira, junho 08, 2010

DIFERENÇAS SEM EXPLICAÇÃO

Todos puderam ler que as famílias que recebem o RSI vão ser visitadas pelos serviços da Segurança Social para se apurar das suas condições de vida, in loco. Esta medida está inserida num processo de fiscalização que abarca ainda as contas bancárias e as casas dos beneficiários.

Penso que ninguém é contra a fiscalização adequada visando acabar com possíveis abusos. Há sempre quem se aproveite e é para isso que se deve fiscalizar, para que os recursos sejam canalizados para quem verdadeiramente necessita.

Na generalidade até estou de acordo com tudo isto, mas há um pequeno (?) senão: a visita às casas dos beneficiários e o acesso às contas bancárias podem não estar de acordo com a Constituição.

Talvez possam ter ficado admirados com esta minha preocupação constitucional, mas eu estou apenas a relacionar este processo inspectivo com outro que também devia ser efectuado, sobre os sinais exteriores de riqueza evidentes de muitos outros cidadãos que declaram baixos rendimentos. Não sei se se lembram, mas esses não são obrigados a provar como é que adquiriram esses bens, ou como sustentam modos de vida luxuosos, porque isso seria a inversão do ónus da prova.

Expliquem-me onde está a igualdade de tratamento, que eu agradeço.



««« - »»»
Flores Silvestres
chark

Александр Сенников

««« - »»»
Humor Nacional
Henrique Monteiro

3 comentários:

Anónimo disse...

Igualdade uma pinóia, por cá há os que podem pagar a bons advogados (daqueles que fazem as leis), e os outros que não têm cheta e amoucham ou sofrem as consequências.
Lol

AnarKa

Pata Negra disse...

É muito simples, é que o rico para entrar na casa do pobre não tem que limpar os sapatos e o pobre para entrar na casa do rico tem de beijar o tapete!
Mas alguém ainda tem dúvidas de que lado está, melhor, de que lado é, esta classe política?!
Um texto à tua maneira!
Um abraço e obrigado

Graça Pereira disse...

Eu tambem gostava de saber...quando souberes, explica-me por favor!
Graça