sábado, maio 29, 2010

PORTUGAL SEM RUMO

O governo português é muito criticado por nada ter feito em relação à fiscalização efectiva da banca, e por não tributar devidamente os seus chorudos lucros. Lá fora os sinais vão em direcção contrária e as propostas de conhecidos economistas, dadas bem aqui ao lado, defendem a aplicação imediata de novos impostos sobre transacções financeiras e sobre rendimentos de capital especulativo, como medida para ajudar a combater a crise económica.

O nosso ministro Teixeira dos Santos que lê os grandes gurus da economia, bem podia prestar atenção a Joseph Stiglitz, Jeffrey Sachs e Howard Stern, que deram esta receita ao governo espanhol.

Mas estamos desfasados noutras matérias, também elas muito importantes, como seja o preço da electricidade, que em Portugal aumenta quando na União Europeia baixa. Não preciso dizer que relativamente ao poder de compra também somos os que a pagamos mais cara no espaço europeu.

Não temos um governo que tenha coragem para ir buscar o dinheiro onde ele existe, nem sequer quando os nossos parceiros económicos dão o exemplo, como a Alemanha e até a Inglaterra, onde David Cameron se congratula com o crescente consenso a favor da taxação dos bancos, dizendo que foram salvos pelos contribuintes, e que agora é o tempo para os reembolsarem.

José Sócrates e Teixeira dos Santos têm outra opinião, e viram-se para os rendimentos do trabalho e para as prestações sociais. Talvez o paguem brevemente.

««« - »»»
Pintura do Mundo
Art Replication 1 by SleepingAbyss

Too wet to go for a walk by John-Tansey

««« - »»»
Humor na Rede
Daryl Cagle

Brian Fairrington

1 comentário:

Anónimo disse...

Os cortes nos rendimentos do trabalho já estão em vigor, mas as ajudas aos nacos continuam ao contrário do que acontece aos desempregados.
Socialismo de m...
Lol

AnarKa