quarta-feira, abril 28, 2010

OBVIAMENTE!

Um dos direitos adquiridos pelos trabalhadores, quando atingidos pelo flagelo do desemprego, é o de auferirem do subsídio de desemprego de acordo com os descontos por si efectuados enquanto no desempenho activo da sua actividade.

Este direito começa a ser posto em causa pelo patronato, o que até é curioso, pretendendo que se corte no subsídio de desemprego, acabando mesmo com o limite mínimo desta prestação. A argumentação é fraca e prende-se, ao que se sabe, com a intenção de incentivar a procura de emprego por parte dos beneficiários deste subsídio.

As reais intenções da Confederação da Indústria Portuguesa, são bastante claras para quem esteja atento, basta tentar encontrar respostas para algumas questões:

- Não se questiona na proposta da CIP o limite máximo da prestação do subsídio de desemprego.

- Quando se pretende penalizar as recusas de ofertas de emprego, porque não se prevê a penalização de quem faça ofertas com valor abaixo do que está consagrado, ou com outras condições irregulares perante a lei?

- Alegando-se que podem existir situações irregulares por parte de alguns beneficiários da prestação em causa, porque não se propõe a intensificação da fiscalização, no intuito de punir os prevaricadores?

- Como é que se entende que estas medidas sejam sugeridas quando as ofertas de trabalho são ainda inferiores ao número de trabalhadores despedidos, ou que perdem o emprego por via de falências e cortes de pessoal, acrescido do número de jovens em idade e em condições de entrarem na sua vida laboral activa.

A pressão sobre os desempregados com as medidas propostas beneficia objectivamente as entidades patronais, que com o aumento da oferta e das situações cada vez mais difíceis pela escassez de postos de trabalho, esperam conseguir mão-de-obra cada vez mais barata.



««« - »»»
Fotos - Dieta
Apple-a-Day By matstake

Open Wide By matstake

««« - »»»
Humor - Adão e Eva a Caminho do Paraíso

5 comentários:

Pata Negra disse...

Na cabecinha porca destes senhores conseguir-se-á o pleno emprego acabando com o subsídio de desemprego! Porcos!

Um abraço

São disse...

Adorei Adão e Eva a caminho do Paraíso, rrss

O patronato português , como consegue ser tão idiota e reaccionário?!

Tudo de bom.

Anónimo disse...

Pagar menos a quem trabalha é o que mais prazer dá ao patronato explorador e aos políticos corruptos.
Lol

AnarKa

Isabel-F. disse...

É nojento o que se pretende fazer nesta área do subsidio de desemprego ...
poderá realmente haver alguns (poucos) que aldrabem os sistema ...
mas ... o certo é que não há oferta de empregos ...

um patrão despede um funcionário que ganhava 800 euros por já não precisar dos serviços dele ... passado uns mezinhos afinal até precisava dele ... abre uma vaga com um outro nome qualquer e oferece 400 euros ...

eles sim ... os patrões deveriam ser multados ...

eu fui despedida ao fim de 31 anos de trabalho ... por extinção do posto de trabalho ... achas que o que eu fazia deixou de ser feito? ... é lógico que não ...

estou nesta situação quase há 3 anos e sabes quantas ofertas de emprego recebi? : ZERO.

bjs

Graça Pereira disse...

Sinceramente acho que este país (todos nós) candidata-se a levar a bomba que a Eva leva nas mãos... da outra vez foi só o Adão...mas agora... penso que nem o paraíso aguenta com tanta gente....
Beijo amigo
Graça