quinta-feira, dezembro 03, 2009

ARY DOS SANTOS

Ecce Homo

Desbaratamos deuses, procurando

Um que nos satisfaça ou justifique.

Desbaratamos esperança, imaginando

Uma causa maior que nos explique.


Pensando nos secamos e perdemos

Esta força selvagem e secreta,

Esta semente agreste que trazemos

E gera heróis e homens e poetas.


Pois Deuses somos nós. Deuses do fogo

Malhando-nos a carne, até que em brasa

Nossos sexos furiosos se confundam,


Nossos corpos pensantes se entrelacem

E sangue, raiva, desespero ou asa,

Os filhos que tivermos forem nossos.


José Carlos Ary dos Santos



««« - »»»



10 comentários:

Jorge P.G disse...

A habitual força de Ary, não tão truculenta como em outros poemas mas não menos dilacerante.

Cumps.

Ferreira-Pinto disse...

Esplêndido!

elvira carvalho disse...

Ary sempre intenso e directo.
Um abraço e bom fim de semana

C Valente disse...

saudações amigas

Pata Negra disse...

Então e não por aqui ninguém que diga mal do Ary dos Santos pelo que ele foi para lá da poesia?!
Pois é, para lá da poesia, ele foi poeta, não foi manuel alegre!
Um abraço com palavra de Ary

Isamar disse...

Ary, inesquecícel.Sinto tanto a sua falta!

Bem-hajas por tê-lo relembrado aqui.

Abraço

Meg disse...

Guardião,

Se Ary soubesse que hoje já não

Desbaratamos esperança, imaginando
Uma causa maior que nos explique
...!!!

Porque simplesmente, já quase não a temos.

Um bom fim de semana para ti.

Um abraço

Graça Pereira disse...

Frontal, lindo e intenso, igual a Ary dos Santos!!
Um beijo e um bom Domingo
Graça

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.