terça-feira, agosto 18, 2009

FREQUENTAR MUSEUS (II)

É sempre polémico discutir-se porque é que os nossos museus não atraem visitantes nacionais, e contudo há museus, palácios e monumentos que são muito frequentados por estrangeiros. Será que nós temos alguma tendência para minimizar o que é nosso, preferindo exaltar o que é estrangeiro? Também é uma hipótese a considerar, digo eu.

Outras razões são apontadas quando questionamos outras pessoas, e uns dizem que o nosso Património é pobre, que está mal cuidado, que não são suficientemente apelativos, ou que lhes falta alguma coisa. Quase todos os que dão estas respostas dizem que lá fora há melhor e que eles próprios já visitaram museus no estrangeiro e gostaram muito.

Não creio que as razões sejam as mencionadas, pelo menos as que justificam o quase divórcio entre os portugueses (muitos deles) e os museus nacionais. Já sei que é contestável a minha afirmação, mas se os nossos museus não atraem os portugueses, expliquem-me porque razão são tão procurados por espanhóis, franceses, ingleses, alemães, etc.?

À dimensão do país que somos, o nosso Património mede meças com o que há de melhor no estrangeiro, e se os portugueses prestarem atenção e o visitarem, vão acabar por valorizar o que têm, ainda que também hajam mais críticas e reclamações, mas que serão motivadas por uma maior exigência de qualidade de serviços, e isso será sempre um bom sinal.

Continua



««« - »»»
Fotos - Beleza
Favorite summer day by CasheeFoo



««« - »»»
Humor do Brasil
William Medeiros

William Medeiros

4 comentários:

elvira carvalho disse...

Eu adoro ver museus e igrejas.
Sabe quando chego a uma terra onde nunca estive a primeira coisa que vejo é se há um museu para visitar?
E mesmo alguns eu vi mais que uma vez. Por exemplo o de Lagos, eu via quase todos os anos nas férias. E o Grão-Vasco de Viseu também já vi três vezes.
Um abraço

Isamar disse...

" A galinha da vizinha é sempre melhor do que a minha". Esta expressão pode ser usada por outras palavras por quem tem pouco interesse pelo passado, pela cultura do país em que nasceu. É quase um pouco "congénito" falar-se mal do que temos/somos para justificar as nossas imperfeições individuais.Os nossos museus e todo o nosso património é riquíssimo até porque temos quse nove séculos de história como país independente e muito do património até é anterior à formação da nacionalidade. Que algum está abandonado, mal preservado, é verdade, mas temos "preciosidades" nos nossos museus que, de todo, não são inferiores a muitos outros em nada.
Não me restam dúvidas de que a cultura não tem tido, por parte de quem de direito, a atenção devida e a parcela do orçamento do Estado para a cultura é diminuta. Há para outras coisas que dão mais nas vistas como pontes, auto-estradas, aeroportos...

Bem-hajas, Guardião!

Um grande abraço

Anónimo disse...

Infelizmente a factura que temos que pagar pelo mau tratamento que é dado à história de Portugal e à educação e educadores, é grande e nota-se em aspectos desta natureza.
O orgulho de ser português tem que ser cultivado.
Lol

AnarKa

Anónimo disse...

Somos bastante saloios, e temos muito pouca autoestima, mas isso é um diagnósticoconhecido.
Bjos da Sílvia