quinta-feira, julho 02, 2009

A MAMA DA CRISE

Do que transparece do discurso político é que todos querem aproveitar-se da crise a seu jeito, uns porque ela disfarça os erros cometidos, outros porque logo encontram bodes expiatórios para todos os males. Isto não é política nem dá credibilidade aos seus arautos.

A crise está aí, todos a sentimos (excluo propositadamente os que a causaram) e o pior é que nada foi feito para evitar repetições da mesma.

A pescadinha de rabo na boca que é o atirar de culpas para os outros, sem que ninguém se sinta culpado nem que seja por omissão, é a hipocrisia maior que descredibiliza os actores da nossa política.

Por último aqui fica uma palavra de desprezo para os autores dos manifestos a favor e contra as grandes obras pública, que mais uma vez teimam em pintar a preto e branco as políticas dos interesses instalados.

É patético este tipo de discurso que enche a boca dos nossos políticos, mas eu já devia estar acostumado ainda que não conformado.



O Joquer por Gustavo Duarte

««« - »»»
Fotos - Cidade Eterna
boris

boris

««« - »»»
Humor Político
Pavel Constantin

Christo Komarnitski

6 comentários:

Pata Negra disse...

Isto é uma crise hemorroidal, só quem tem cu sofre com ela!
Um abraço com cu

Angela Guedes disse...

Oi Guardião!!!
Por causa da hipocrisia generalizada todos estão pagando.
Um abraço.
Ângela

ana p roque disse...

A crise,serve de desculpa,para muita coisa e para alguns é até favorável.
A pescadinha de rabo na boca neste país sempre funcionou ás mil maravilhas.
As grandes obras públicas é para inglês ver e dar mais uns trocos aos grandes interessados.

O joker,interessante...

cumps

ana p roque disse...

Paris, toujours Paris

Meg disse...

Caro Guardião,

Pois junto-me a ti no desprezo pelos tais autores dos manifestos.
Ao que chegamos, meu amigo!
Eles pensam que o "povo" é parvo.
E também não me conformo.

Um abraço (agora menos assíduo), que o trabalho aperta.

Anónimo disse...

Para eles está sempre tudo bem, tirando a proximidade das eleições, altura em que o tacho pode perigar.
Bjos da Sílvia