sexta-feira, julho 10, 2009

A BRINCAR COM A SAÚDE

Pode parecer de mau gosto tentar brincar com um assunto tão sério como a saúde, contudo, depois de ler as últimas declarações da ministra da Saúde, Ana Jorge, as dúvidas que ficaram na opinião pública foram tantas que as piadas se sucederam.

Na quarta-feira a responsável pela pasta da Saúde assegurou que o Estado português “ainda não tem neste momento nenhum contrato feito” para o fornecimento da vacina, mas assegurou publicamente que a distribuição da vacina terá critérios de equilíbrio e equidade, dispensando-se de especificar quais.

Confesso que as palavras de Ana Jorge não me incutiram qualquer dose de confiança, ainda para mais porque falando de grupos de risco, enumerou como prioritários os doentes crónicos em qualquer idade (estes entendo), os profissionais de saúde (é óbvio), as forças de segurança e os grupos com funções essenciais de manutenção da sociedade (muito vago). Podem crer que não sou alarmista nem complicadinho, mas ficou muita coisa por defenir, para o meu gosto.

Extraordinária foi mesmo a declaração de que 92 por cento dos doentes não terão que recorrer aos hospitais, já que poderão ser observados mesmo estando em casa. Senhora ministra, esta deve ser piada, e talvez seja melhor não associar aqui o Magalhães, porque acho que ainda não vêm com webcam.

Será que agora há médicos para atender ao domicílio, e entregas de Tamiflu pelo ministério da Saúde em casa dos doentes? Parece-me que devo diagnosticar à senhora ministra o complexo do Simplex, porque isto é simplesmente fantástico demais para ser verdade!

Mohammad Al-Rayies

««« - »»»
Fotos e Arquitectura
Belmonte

-]MIЯROR[-

««« - »»»
Humor e Credulidade
Peter Broelman

5 comentários:

ana p roque disse...

Neste país sempre se brincou com a saúde.Em situações graves,1º estão os mais importantes...depois,muito depois...estão os outros.

La Torre Lusignan,Melusina, a “Dame du Lac”

cumps

Isamar disse...

Compreendo que não se deva instalar o pânico entre as pessoas pois pode acarretar consequências caóticas mas todos os cuidados não serão demais. Lembraram-me alguns familiares que a gripe asiática da década de 50 levou ao encerrameno de escolas e não só.
Sempre ouvi dizer que a gripe é uma doença que merece muito respeito.

Beijinhos

Bem-hajas!

Anónimo disse...

Desleixo que descamba na resignação de quem não conseguindo acudir a tempo, deviamente e em sítio próprio, avaça sem rebuço para considerar uma inevitabilidade em que apenas os ditos indispensáveis merecem toda a atenão. Os outros... bem esses ficam entregues à sua sorte.
Lol

AnarKa

Paulo Mascaranhas disse...

A verdade é que esta ministra não tem plano rigorosamente nenhum implementado. São os hospitais e seus directores clínicos quem tem efectivamente posto em marcha planos de contingência. Este governo não tem feito RIGOROSAMENTE NADA para defender a população portuguesa para a onda séria de novos infectados que vai atingir em cheio o país entre Setembro e Outubro. É do conhecimento da Ministra, mas a bem de "não alarmar a população" não se faz nada. A realidade é que parece que se quer dizimar a população, sempre são menos os insatisfeitos com as monumentais demonstrações de inépcia governativa no pós-pandemia...

Angela Guedes disse...

Oi Guardião!!!!
"Os acontecimentos políticos humilham e desabonam mais a sabedoria humana que quaisquer outros eventos deste mundo (Marquês de Maricá)"
Tenha uma ótima semana.
Um Abraço.
Ângela