sábado, maio 23, 2009

PERIGOS INSUSPEITOS

O Património construído está à mercê de diversas ameaças, que vão desde a incúria, à falta de recursos, ou até aos imponderáveis cataclismos que não podemos prever.

Em geral a maior ameaça vem do maior predador do planeta, o ser humano, que consciente ou inconscientemente atenta contra a integridade daquilo que é suposto saber preservar para as gerações vindouras.

O título “perigos insuspeitos”, sem ser uma rigorosa verdade, pode aparentar sê-lo, porque se refere aos pombos e às pastilhas elásticas. Sim, falo dos pombos que as nossas crianças alimentam alegremente e das pastilhas elásticas que muitos mascamos e depois deitamos fora, muitas vezes sem a preocupação de as colocar-mos em recipientes adequados.

Por um momento apelo a todos os meus leitores que pensem que os aparentemente inofensivos pombos que alimentamos pela cidade, fazem os seus ninhos em telhados, onde depositam também os seus excrementos, entupindo caleiras e algerozes, e infiltrando ainda as alvenarias e pedras, ameaçando a sua integridade.

As pastilhas que descuidadamente lançamos ao chão, ficam lá depositadas, e normalmente são retiradas a muito custo, bastas vezes com recurso a produtos abrasivos, que acabam por desgastar ou mesmo danificar essas superfícies.

Espero que poucos sejam os que ainda não estão alertados para estes problemas, e que todos possamos ter mais atenção a estes pormenores e possamos sensibilizar os que nos rodeiam, porque afinal todos queremos preservar o Património que os nossos ancestrais nos legaram.



««« - »»»
Fotografia
The garden of morning calm

««« - »»»
O Goraz a olhar para o caso Autoeuropa


««« - »»»
Humor Caricatural
Luis Demetrio Calvo Solís

Alfonso Hechevarría Moinelo

6 comentários:

Paulo Vilmar disse...

Guardião!
É nosso dever zelar pelo patrimônio herdado!
Abraços!

Anónimo disse...

Que pena este ser um país em que alguns se preocupam com o que existe e outros falam em construir novos museus, como se fossemos ricos, mas não mexem uma palha para preservar o que ainda temos.
Bjos da Sílvia

A Casa da Buganvília disse...

Gosto do teu blogue.
Tem um bom domingo.
Um abraço

Jorge P.G disse...

Certamente que já quase todos sabem do prejuízo enorme causado pelos excrementos das aves.
Todos os países lutam contra o flagelo com apelos semelhantes aos cidadãos.
No entanto, há sempre quem se esqueça ou minimize as consequências.
Bom é, de facto, ir alertando, como o fez agora o amigo Guardião.

Cumps.

LopesCa disse...

Infelizmente as pessoas não têm civismo senão sabiam que o lixo não é para o chão.
Senão fossem parvas viam que estão a prejudicar a natureza e a eles próprios a mandarem pastilhas elásticas para o chão, entre outras coisas.
Senão fossem egoístas viam que o património deve ser protegido por todos e tal é um dever.

Meg disse...

Guardião,

Ainda bem que não desistes nos teus intentos de preservar o Património.
No nosso dia a dia, não suporto mais as beatas no chão, as pastilhas que sou obrigada a remover com gelo, os papeis, etc...
O português sofre de uma tal falta de civismo que chega a ser confrangedora.
Como queres que saibam os cuidados que devem ter com o Património que é de todos?

Um abraço