terça-feira, maio 19, 2009

CREDIBILIDADE

Tive sempre como dado adquirido que a credibilidade da política, ou dos políticos, se afere pela sua atitude e cumprimento de promessas. A política é, ou devia ser, um serviço que se presta a todos os cidadãos independentemente das convicções políticas de cada uma. Um eleito tem por dever servir com todas as suas forças e capacidades o interesse público.

É por causa do acima exposto, que é o que penso e defendo, e o contraste evidente que a prática a todos mostra, que eu tenho votado sistematicamente em branco, pelo menos há mais de uma década. Já me acusaram de utopia, o que nem sequer me ofende, ou de ser simplesmente um bota abaixo, o que não aceito.

Quando os partidos políticos deixarem de ser agências de empregos, meros defensores de interesses de qualquer espécie, ou conjuntos de pessoas que acham que a política é um emprego, talvez eu repense a minha posição actual. Por enquanto, e porque os políticos que se me apresentam para eleições, são mais do mesmo, eu continuarei a VOTAR EM BRANCO.



««« - »»»
Fotos - Património
Tomar

Sintra12 by Palaciano

««« - »»»
Humor Cultural vindo da Rússia

10 comentários:

São disse...

Meu caro, compreendo a sua decisão.
Mas, se me permite, não vote em branco; inutilize o boletim de voto.
Segundo julgo saber, os votos em branco, acabam por favorecer o partido mais votado.
E o mesmo acontece nas eleições presidenciais.
Boa semana.

Angela Ladeiro disse...

Pois é...está tudo sempre na mesma...parece-me que vou repetir...ou seja não vou!

Fliscorno disse...

O problema é que os partidos são, efectivamente, agências de emprego. Ou antes, são gangs organizados para tomarem o país de assalto.

Desde o governo de Durão Barroso que parece ter havido um salto (para baixo) na pouca vergonha. Os políticos têm andado à chuva da escandaleira, molham-se até ao tutano e, mesmo assim, nem se constipam. Dizem que estão vacinados pela legalidade das suas acções. Ou que vale pouco num país onde a justiça anda mais devagar do que uma automotora a vapor, das antigas, na linha do Tua.

Pata Negra disse...

Vota em branco mas vota porque quem não vota consente!
Um abraço eleitor

LopesCa disse...

Mais vale um voto em branco que não votar :)

Angela Guedes disse...

Oi Guardião!!!
È verdade os políticos não passam agenciadores de emprego e de tráfico de influências.
Eles são funcionários públicos. E como tais devem prestar conta ao povo.
Boa semana, amigo.
Abraços.
Ângela

ANTONIO DELGADO disse...

Há muito que não passo por aqui, como de uma forma geral não tenho passado por outros blogs amigos para comentar. mas concordo consigo sobre a questão dos partidos serem autenticas agencias de empregos dos seus apaniguados.Os partido, em vez de zelarem pelo bem público transformaram-se em agências de empregos e qualquer cidade média portuguesa ou concelho, (entre 50 mil a 250 mil eleitores), acaba por ter umas dezenas ou centenas de pessoas cujo salário depende de o partido X ganhar as eleições. Isto gera diversos incentivos perversos entre eles a corrupção. Da forma como os partidos estão eu não acredito em nenhum...a votação na assembleia, sobre a financiação dospartidos foi esclarecedora.

Um abraço
António
um abraço
António Delgado

Isamar disse...

Como estou de acordo contigo! Há muito que o servir anda afastado da política. Prometer e não cumprir é fácil mas o efeito que provoca é o afastamento cada vez maior do cumprimento de um dever, e de um direito, que a todos foi dado num Abril já distante.

Bem-hajas!

Um abraço

elvira carvalho disse...

Pois eu estou de acordo. Votar eu sempre voto. Mas em branco ou nulo pois não me revejo em quem lá está, mas também não me revejo na oposição que temos, que às vezes até duvido se é...oposição.
Um abraço

Maria Faia disse...

Estimado Amigo,

Em democracia importante é a participação, independentemente do veredicto individual que cada um produz.
Demitirmo-nos de, em sede de eleições, dizermos o que pensamos usando o voto, mesmo que em branco, é que, salvo melhor opinião, não pode, nem deve ser feito.
O voto em branco, para quem o souber ler, significa que quem o apresenta entende que nenhuma proposta apresentada serve os interesses de quem vota, certo?
Pela liberdade, sempre!
Pela diferença, sempre!

Um abraço amigo,
Maria Faia