segunda-feira, dezembro 01, 2008

TÍTULOS PATUSCOS

Nunca me canso de achar graça aos grandes títulos dos nossos jornais, que no fundo são o espelho do que se diz nos meios que fornecem as notícias para a nossa imprensa.

Começo pelo grande título do Expresso do passado sábado que dizia textualmente “Governo salva BPP para defender imagem de Portugal”. No domingo, cheguei ao caderno de economia do mesmo semanário, e deparo com outro título sobre o mesmo assunto, “Teixeira dos Santos obrigado a salvar o BPP”.

Por força da minha actividade contacto diariamente com estrangeiros das mais variadas nacionalidades, e devo dizer que os elogios a Portugal, enquanto país interessante a nível paisagístico, monumental e suas tradições gastronómicas e arte de bem acolher quem nos visita, são uma realidade e colhem diante da esmagadora maioria dos estrangeiros, independentemente das nacionalidades. Ao nível político, económico e científico, confesso nunca ter ouvido nenhum elogio rasgado e fundamentado.

O primeiro título é ridículo, porque a imagem de Portugal no estrangeiro a nível económico e de desenvolvimento, é a decorrente do lugar que ocupamos, ou seja no fim das tabelas e indicadores europeus. O segundo, é ainda mais ridículo, porque um banco gestor de carteiras ou fundos e de grandes fortunas, não justifica nenhuma obrigação especial do Estado no seu “salvamento”, por se tratar de um negócio de elevado risco que não é passível de ser confundido com a banca comercial, esta sim factor de desenvolvimento, através do investimento no sector produtivo e receptor das pequenas poupanças.

Com a falência do BPP qual era o sistema que ficava em causa? A especulação bolsista?



««« - »»»
Pintura - Barcos
boats -44 by stefanzhuty

Alinhar ao centroboats -43 by stefanzhuty

boats -42 by stefanzhuty

««« - »»»
Humor Bolsista

11 comentários:

Anónimo disse...

Salvar os ricos e enterrar os pobres, é o lema deste executivo pretensamente socialista.
não encontro razões para salvar nem o BPN nem o BPP.
Lol

AnarKa

A. João Soares disse...

Caro Guardiuão,
Tem muita razão no que aqui escreveu. Sugiro uma visita ao último post de Do Miradouro, onde encontra palavras muito apropriadas sobre as relações entre o Governo e os bancos.
Parece que o comentador anterior tem razão, ao encarar de frente a estratégia do Governo de «acabar com os pobres».
Transformaram o País numa anedota com várias faces para rir, e muitas outras para chorar.
Abraço
João

Jorge P.G disse...

Belíssimas as imagens dos barcos!

Quanto às parangonas da nossa Imprensa, elas são bem o espelho da pequenez intelectual da nossa comunicação, em traços gerais, bem como da sua dependência de patrões que se casm com a política vigente.
Uma meada difícil de dobar.

Qualquer dia cria-se um fundo para a salvação de bancos.
Grotesco!

Uma boa semama.
Cumps.

Jorge P.G.

Tiago R Cardoso disse...

não sei se o estado teria obrigação de andar a salvar tudo...

Apenas achei bem o salvamento do BPN, este já desconfio e muito.

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá querido Amigo, venho visitar-te para te deixar muitos beijinhos de boa noite e óptima semana...
Fernandinha

Anónimo disse...

José
Quem manda afinal? €€€€€€
Belas pinturas...
Bjos da Sílvia

Ferreira-Pinto disse...

Já aquando da intervenção no BPN me indignei, mas mais ficarei se o Governo, via CGD, vier a meter um cêntimo que seja no BPP.

Mas nada que cause estranheza, pois é sabido que os nosso homens do $ têm uma teoria infalível: na hora do lucro, sai Estado; na hora do aperto, entra Estado.

E o nosso Estado, com políticos desta craveira, deixa-se levar na conversa. Não porque convenha a Portugal, antes a alguns medíocres que ali se irão abotoar depois com honrosos cargos e generosas regalias.

São disse...

Não, talvez quem ficasse em causa fossem O Partido Socialista e o partido Partido Social -Democrata, se não directamente pelo menos através de militantes seus muito destacados.

Boa semana.

C Valente disse...

Quanto aos jornais está como a politica, uma trampa.
O nivel de Portugal a nivel internacional é como diz, ou seja é como quando visitamos uma pequena aldeia, é só paisagem
Belas imagens
Saudações amigas

Papoila disse...

Olá Guardião:
Não vejo qualquer razão de vulto sob ponto de vista económico para investir capital do Estado no "salvamento" de instituições como o BPN e o BPP a não ser facilitar a vida fácil dos poderosos accionistas...
Beijos

Meg disse...

Caro Guardião,
Pois se achavas que "nós" não íamos nem tinhamos nada que salvar "as grandes fortunas" do BP, enganaste-te, meu caro.
Pois vamos... foi anunciado hoje mesmo. E esta, hein?
O povo é lorpa... é como eles nos vêem.

Um abraço