quarta-feira, novembro 12, 2008

UMA MULHER DE AFECTOS

Hoje não estou particularmente inspirado e como o assunto que mais vi comentado e ilustrado pela blogosfera foi o grande afecto que professores e alunos nutrem pela Dona Lurdes, aqui vos deixo algumas imagens alusivas ao tema.


In Anterozóide

12 comentários:

Anónimo disse...

O boneco dos miúdos está muito giro, mas acho que tropeçaram à chegada e os ovos só acertaram no carro.
Bjos da Sílvia

Ferreira-Pinto disse...

Se existem razões de queixa da ministra, e eu digo que sim mas que a culpa não reside apenas nesta senhora ou num dos lados da barricada, não posso deixar de repudiar o que ontem se passou!

elvira carvalho disse...

Nem sei se condeno os estudantes. Devia, não é verdade. Sempre disse que a falar é que a gente se entende. A minha dúvida é... este governo ouve alguém?
Um abraço

O Guardião disse...

Meus amigos
Aqui o José Lopes não costuma alinhar em badernas, mas a intolerância e a teimosia da ministra, com o apoio de José Sócrates, levam a que haja quem perca a cabeça. Se o modo de manifestar o desagrado e a revolta é condenável, não menos condenável é a atitude do governo.
Cumps

Meg disse...

Caro Guardião,

Ouvi aqueles jovens, vi aquelas cenas e... ficou-me uma grande tristeza. Por eles, que são as maiores vítimas, em todos os aspectos.

Um abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Guardião

Tudo isto me dá tristeza, acredita. Conheci a Maria de Lurdes Rodrigues na Faculdade (ISCTE) e formei dela a melhor opinião. Boa professora, sempre diisponível, solidária, amiga dos alunos e nada prepotente.
Esta não é a Maria de Lurdes que eu conheci. Ou será e eu vi mal?

Abraço

Tiago R Cardoso disse...

protesto sim, defender o que acreditam também sim, arruaça não.

Pata Negra disse...

Para se perceber o que está a acontecer com o ensino público não é preciso muito, basta olharmos as expressões de rosto da Ministra e dos seus dois serviçais.
Um abraço já para além da paciência

Marreta disse...

He, he, he , até parece que voltámos aos Carnavais de algumas décadas atrás, em que o ovo era rei.
Saudações do Marreta.

José Miguel Gomes disse...

Não sei se ria, se chore, por todos os motivos... Para onde vamos?

Fica bem,
Miguel

C Valente disse...

Para quem não estava inspirado está muito bom
Saudações amigas

Sophiamar disse...

O momento é de grande crispação.Espero que se encontre o caminho do diálogo embora até aqui só tenha visto arrogância e inflexibilidade muito pouco próprias da democracia.

Um abraço