sábado, julho 05, 2008

LUÍS DE CAMÕES

Sete anos de pastor Jacob servia


Sete anos de pastor Jacob servia
Labão, pai de Raquel, serrana bela;
Mas não servia ao pai, servia a ela,
E a ela só por prémio pretendia.

Os dias, na esperança de um só dia,
Passava, contentando-se com vê-la;
Porém o pai, usando de cautela,
Em lugar de Raquel lhe dava Lia.

Vendo o triste pastor que com enganos
Lhe fora assi negada a sua pastora,
Como se a não tivera merecida;

Começa de servir outros sete anos,
Dizendo: — Mais servira, se não fora
Para tão longo amor tão curta a vida


Luís de Camões

Jacob Lutando com o Anjo de Gustave Doré

««« - »»»
Flores no Feminino
Антон Салтанов
Гоманок Антон
««« - »»»
Humor Russo

9 comentários:

A. João Soares disse...

A paciência, a submissão, a humildade de quem serve... e não é sindicalizado, dá para suportar todas as canalhices do patrão!
Cumprimentos
A. João Soares

instantes e momentos disse...

muito bom seu blog, inteligente, bem escrito, bem humorado, gostei daqui.

Anónimo disse...

Venho desejar-te um bom domingo e muito descanso.
Bjos da Sílvia

Pata Negra disse...

Reparei que o Camões falava qq coisa de pastoras e que tinhas dos habituais cartoons mas... aquelas? não são pastoras? quem me dera a mim ser pastor delas!...
Um abraço caprino

A paginadora disse...

Amigo Guardião
Passarei amanhã para comentar o post.
Agora venho apenas cumprimentar e desejar um bom fim-de-semana.
Um abraço

Papoila disse...

Camões!
Fotos muito belas!
Beijos

adrianeites disse...

Grande Camões!

Bom Domingo!

Anónimo disse...

Para se conseguir algo, os caminhos serão sempre ínvios. Prmeiro dão-nos o que não queremos, e pagamos por isso, se não queremos que o caminho nos seja vedado. Capitalismo, isso mesmo, uma definição da arte de criar muitas etapas até ao que realmente interessa.
A bíblia é um dos livros da sabedoria, só temos que saber interpretar.
Lol

AnarKa

Marreta disse...

Mais Camões era o que precisávamos neste país. Homens de valor e alma que sintam a pátria como uma forma de enaltecimento comum e não como um meio de se encherem à custa dos cargos públicos.
Saudações do Marreta.