segunda-feira, abril 14, 2008

AFINAL SOU “AMISH”

Descobri hoje nas páginas do DN, que afinal tenho algumas afinidades com a comunidade “Amish”, ainda que nunca tenha dado por isso. O autor do texto que me deu esta novidade é nada mais nada menos, redactor principal do referido jornal.

Covenhamos que a conclusão que tirei não é tão linear como a apresento, porque o seu autor refugia-se na afirmação «recusar alterações ao código laboral é ser como os “amish”», mas também não deixa de ser verdadeira, porque o artigo de opinião (a dele) termina com este parágrafo elucidativo: «Recusar as urgentes alterações ao Código do Trabalho que facilitem os despedimentos e flexibilizem os horários de trabalho, é ter uma atitude idêntica à dos “amish”. Significa teimar em viver no passado».

Claro que o senhor Jorge Fiel, pode e deve exprimir a suas opiniões, livremente, o que é um direito seu segundo a Contituição portuguesa, mas não lhe fica muito bem misturar convicções religiosas com opiniões sobre direitos laborais. Talvez o senhor redactor deste jornal diário não se tenha apercebido, mas há muita gente que não vive no passado, nem nutre qualquer aversão às novas tecnologias, mas discorda frontalmente das alterações ao Código do Trabalho que visam facilitar os despedimentos e flexibilizar os horários de trabalho, exactamente porque em contrapartida não temos um sistema de segurança social à altura para absorver o impacto dessas medidas.

Este “amish”, que mudou diversas vezes de entidade patronal, por vontade própria, e até de ramo de actividade, e que hoje apesar de reformado por tempo de serviço, e que se recusa a ficar na inactividade, também porque a reforma é curta, discorda da classificação que o senhor Jorge Fiel encontrou para o seu artigo, mas educadamente recusa-se a classificar o seu autor, deixando a tarefa aos leitores deste blog.


««« - »»»

Humor Amarelo







11 comentários:

Maria disse...

Olá Guardião,
Por vezes foge-nos a boca para uma certa verdade : "teimar em viver no passado "...
Porque não dizer apenas "TEIMAR EM VIVER" apesar de só nos lembrarmos como era viver, cada vez mais, por memórias do passado ...
Cada vez mais penhorado o presente, resta-nos o nosso empenho num futuro de esperança, pelo menos ...
Um beijinho meu amigo e uma semana feliz, apesar de tudo.
Maria

Anónimo disse...

Com que então, amish. Deves andar muito disfarçado, porque de mota e com o capacete enfiado na cabeça, ninguém diría. É uma pena verificar que o Diário de Notícias está a transformar-se num reduto xuxalista, mas compreende-se, a vida está difícil...
Bjos da Sílvia

rouxinol de Bernardim disse...

Há tantos a viver no passado!

Staline está vivo e faz das suas!

Quer mais autonomia para poder criar um gulag onde instale todos os opositores ao seu regime: são todos tolinhos sem excepção1

Veja a «Bokassolândia!» no meu blog!

Tiago R. Cardoso disse...

Não sabia que também eu era "Amish", grande novidade...

Anónimo disse...

É pá, então também me chamou AMISH a mim. Desculpalá mas eu não tenho que ser bem educado, e devolvo o ELOGIO a esse tipo, um tal de Fiel, que tem uma atitude idêntica à dos FUNDAMENTALISTAS TALIBANS na defesa cega de valores dos seus chefes e mentores. Não sei qual a madrassa que frequentou, mas a lavagem ao cérebro foi perfeita e só falta ouvi-lo clamar pelas virgens que lhe tocam depois de explodir em nome do XUXALISMO.
Aqui é Joca Amish

A. João Soares disse...

Caros amigos,
Seja-me permitido também lançar uma opinião. Não tenho dúvidas de que tem de haver alterações em tudo. Não se conduz um automóvel com o volante bloqueado, pois é absolutamente necessário corrigir a trajectória a cada momento.
Mas o que eu não aprovo são as mudanças por capricho, só para mudar, porque sim.
Uma decisão tem que ser bem ponderada e assentar em estudos prévios elaborados com independência, rigor, isenção, colocando em cima da mesa todas as modalidades possíveis para escolher a melhor, sem esquecer os efeitos no futuro que daí sairá.
Com decisões bem preparadas evitam-se os repetidos recuos que só trazem desprestígio e prejuízos.
Enfim, sou por mudanças bem pensadas, úteis, que tragam benefício, principalmente para os mais necessitados.
Um abraço
A. João Soares

São disse...

Jorge Fiel é inqualificável, na minha opinião.
Gostei dos cartoons.
Feliz semana.

Jorge P.G Sineiro disse...

Ami(sh)go GUARDIÃO:

Venho juntar-me a si e à comunidade ami(sh)ga.
Esse Senhor Fiel, que infelizmente tem a graça de Jorge, é tolo, coitado! Quis ser original e espalhou-se ao comprido.
O que é grave é que os nossos diários dêem guarida a semelhantes cromos...

- Belo conjunto de cartoons !

Cumps.
Jorge P.G.

Meg disse...

Caro Guardião,
teus "bonecos
Está tudo grosso, já dizia a Ivone Silva
O que vale é que os teus bonecos distraem-nos desses disparates.

Tenho andado ausente mas já cheguei.~~Um abraço

Maria (sulista) disse...

Atão já voltou ou ainda anda por fora? :-)

Recebi uma encomenda do Zé para outro Zé...Eheheheh!

Obrigada e vou tratar disso para enviar pelos CTT até sexta ;-)

Abraço

quintarantino disse...

Olha, afinal também sou ... amish!