segunda-feira, março 17, 2008

CINCO ANOS DEPOIS...

Já passaram cinco anos sobre a cimeira das Lajes, que ficou conhecida como a declaração de guerra contra o Iraque. A decisão baseada em informações infundadas, como já ficou bem claro, conduziu a uma guerra interminável e de onde parece que ninguém vai sair bem. O Iraque está inseguro, cerca de 40% dos iraquianos estão desempregados, os mortos contam-se por centenas de milhar, e o mundo não está mais seguro.

A política mundial está caracterizada pelas incongruências e pelos interesses económicos, demonstrando-se que os direitos humanos e a justiça não são as prioridades internacionais.

Nos últimos dias falou-se deste aniversário, da cimeira dos Açores de muito má memória, mas falou-se também dos acontecimentos no Tibete, onde a China continua a demonstrar a sua política implacável contra o povo tibetano. A China, acabada de sair da lista negra dos EUA, certamente não pelos avanços democráticos, ou pela melhoria na defesa dos Direitos Humanos, mostra a sua intransigência quanto ao Tibete.

Onde estão agora os governos ocidentais, acérrimos defensores dos Direitos Humanos, apoiantes da independência do Kosovo? Será que as notícias não alertaram as chancelarias por esse mundo fora, e os países que se orgulham de ser defensores da Democracia, não têm uma opinião, e uma posição oficial perante as atitudes do governo chinês. O silêncio é ensurdecedor!

Fotos retiradas da net
O Iraque "pacificado"

Os "pacíficos" soldados chineses

Os "perigosos" monges contestatários

««« - »»»

Fotografias da Primavera

Early Spring Cheer by *desmo100

A bunch of flowers by BrightKnight

6 comentários:

Pata Negra disse...

Não compreendo, não compreendo como é que a civilização ocidental ainda não condenou formalmente Bush, como é que os outros três continuam impávidos e serenos a sua carreira - Durão Barroso!!!
Dalai é bonito, a China intocável, mal dos nossos males no tema economia, caminho a seguir nas leis do trabalho, socialismo tão mau como o nosso!
Bate-lhes Guardião!
Um abraço do não!

Anónimo disse...

A política é uma porca, disse alguém com propriedade, e está bem à vista no caso do Tibete.
As negociatas estão em primeiro lugar, e os políticos acabam sempre por abichar umas massas que lhes garantem um futuro risonho.
Bjos
Sílvia

quintarantino disse...

Há uma diferença abismal entre o que se decidiu nas Lajes e o que se passa agora em Lhassa.
Saddam era um fanfarrão com pés de barro e a coisa metia petróleo ... com a China, enquanto os tipos permitirem que se deslocalizem para lá empresas e unidades produtivas inteiras, detalhes como o Tibete têm de ser devidamente equacionados e analisados.
Isto dizem os nossos peritos. Por falar nisso, alguém ouviu o Luís Amado pronunciar-se sobre o assunto?

SIDADANIA disse...

Quantas vidas justificam uma guerra que unicamente tem como objectivo o apoderarem-se dos recursos naturais de um país, neste caso o petróleo. O petroleo continua a subir para pagar os custos da guerra, no entanto na América os preços dos combustiveis continua a ser dos mais baratos do mundo.

Mocho-Real disse...

A hipocrisia dos defensores da paz e dos direitos humanos está, a cada hora, com o rabo mais de fora.

Eles são carreiristas políticos, para quem o que conta é o posto que se alcança no governo do mundo. Tudo o resto...

Cumprimentos.
Jorge G.

Belzebu disse...

Nojento! Esta é a única palavra que me surge, perante a hipocrisia daqueles que têm dois pesos e duas medidas, em relação aos Direitos Humanos!

Também escrevinhei algo sobre o assunto e concordo totalmente contigo!

Aquele abraço infernal!