quarta-feira, fevereiro 06, 2008

AS IDEIAS FEITAS

Ainda a propósito da famigerada Lei do Tabaco, que veio trazer à tona o fundamentalismo exacerbado de algumas pessoas com responsabilidades governativas, aqui e noutros países por esse mundo fora, acabei de tomar conhecimento do estudo holandês publicado no boletim da Biblioteca Pública da Ciência, que mostra o óbvio: se uma pessoa viver mais anos, torna-se mais dispendiosa para o Estado.
A ideia de que o cidadão que fuma, ou o obeso, é um encargo maior para o sistema do que o cidadão com hábitos saudáveis, afinal é uma mistificação sem qualquer fundamento científico. Não sou suficientemente cínico para vir aqui fazer a apologia dos maus hábitos, quer tabágicos quer alimentares, mas a argumentação usada para combater estes males deve ser a de apelar ao bom senso e a uma vida mais saudável, e nunca enveredar por caminhos ínvios e por mentiras mais do que óbvias.
Já aqui fui criticado por dizer que foram cometidos excessos e que os fumadores quase que foram considerados como marginais, mas nunca me viram defender esse vício nem proclamar benefícios desse hábito, do qual aliás me estou a afastar gradualmente. O que me irrita profundamente é a intolerância e a demagogia em torno do assunto, e sobretudo as intenções de tudo normalizar, desde os comportamentos sociais até aos hábitos alimentares, que uns quantos pretendem regulamentar, invocando sempre motivos de saúde pública e os encargos sociais que dela decorrem. Afinal a mentira não compensa e os responsáveis políticos parece que não aprendem.

»»» - «««
Fotografias
Chain Smoking by Nohbody

Pane in the Ass by unstablefiend

Nothing between the ears. by Koosricardo

««« - »»»

Caricaturas

Dalcio

Marilyn Manson by Ismael Roldan

10 comentários:

Ludo Rex disse...

Queremos ser livre Amigo, temos esse direito... Leis moralistas não, Obrigado. Pelo que sei ainda não é proibido por lei fumar, então porquê esta lei que marginaliza quem fuma?

Um Abraço

Anarka disse...

Cda vez mais nos pretendem impôr o que é decidido além fronteiras, mas o que os outros têm de realmente bom - a qualidade de vida - isso não é para implementar cá. Vão à barda merda.
Lol

Tiago R. Cardoso disse...

O fundamental é não entrarmos em fundamentalismos...

Joca disse...

A preocupação das autoridades com os malefícios do tabaco, que aqui não são postos em causa, não têm correspondência com a inceneração de onde emanam dioxinas com fartura, mas que pelos vistos são aceitáveis mesmo fazendo mal ao ambiente e às pessoas. Onde pára então o director geral da saúde e a inspecção da qualidade do ar?
Fui

quintarantino disse...

A uniformidade, nem que seja pela força: eis o verdadeiro objectivo de uma sociedade onde o politicamente correcto faz lei!

MARIA disse...

Olá Guardião,
Subscrevo inteiramente as suas palavras, sempre certeiras, aliás.
Além de perversa, a argumentação do desejável cidadão saudável em razão dos interesses do Estado é muito perigosa.
Muitos cidadãos não saudáveis são mais úteis à sociedade que os demais. Veicular a ideia de que quem não tem saúde é um peso, além de ser mentira, pode levar a consequências muito negativas na estrutura social e política de que a História tem exemplos, com os quais não aprende.
Um beijinho muito amigo e ... deixe de fumar ...pela sua saúde...
:)
mas se fumar lhe der prazer, então também lhe dará de certa forma de saúde ...
:)

A. João Soares disse...

Que se alertem as pessoas dos inconvenientes do fumo está correcto. Mas não se proibam de ter os seus prazeres mesmo que eles tenham algum risco. Cada um pode suicidar-se, se o desejar.
No entanto, quem fuma ou tenha outro vício deve ter o cuidado cívico de não incomodar os outros e de não lhes causar dano ou sofrimento.
A frase que diz que a nossa liberdade tem por limite a liberdade dos outros explica muita coisa sem necessidade de grandes discursos socráticos.
Um abraço

Belzebu disse...

Esta gente anda toda doida. Posso lá eu dispensar agora o meu catarro matinal? É de hipocrisia em hipocrisia que vamos aturando esta cambada fundamentalista!

Aquele abraço infernal!

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá meu querido Guardião, faço minhas as palavras do Tiago, se ele não levar a mal.
Mas, concordo contigo 100%.
Beijinhos de carinho e amizade.
Fernandinha

Paulo Vilmar disse...

Guardião!
De lei em lei, o estado vai cada vez mais tirando a liberdade do cidadão! Aqui no Brasil, por exemplo, não tenho liberdade nem em meu automóvel, posto que sou "obrigado" a usar o cinto de segurança.
Abraços.