domingo, janeiro 06, 2008

O QUE OS NOSSOS ECONOMISTAS NÃO DIZEM

Eu não dou uma grande importância ao discurso do Presidente da República, porque dele aguardo apenas que actue em conformidade com o que diz, e dentro dos poderes que lhe são conferidos pela Constituição. Não deixei contudo de registar que “abordou o tema das desigualdades na distribuição do rendimento”, um dos temas que não tem merecido a atenção devida na sociedade portuguesa.
Os nossos analistas políticos, na sua maioria, economistas, gestores e políticos, passam sobre o tema com uma leveza propositada, nunca inocente, dando a ideia errada de que este não é um dos factores mais negativos para o desenvolvimento do País. Afirmo que não é inocente a falta de ênfase dado a este problema social e económico, porque em geral esses analistas fazem parte da minoria que aufere as grandes remunerações e que ao mesmo tempo as decide, ou participa nas decisões.
Por acaso, ou talvez não, veio a lume na SIC, a discrepância salarial entre os grandes gestores e os seus funcionários, e ficámos todos a saber que é das maiores da zona euro. Por coincidência também ficaram os senhores gestores portugueses a saber, se é que ainda o não sabiam, que nos países que nos dão como exemplo para quase tudo menos para os salários, essa discrepância é muitíssimo menor (10 para1 em vez de 64 para 1), continuando eles a serem mais competitivos e a ter um maior nível de produtividade.
Isto é uma realidade muito incómoda para os nossos ilustres analistas, que continuam a bater-se por salários cada vez mais baixos para quem trabalha, e mais precariedade no emprego, mas a não quererem admitir que a distribuição da riqueza e o fraco investimento das empresas é que é afinal o que nos distingue negativamente, da Europa desenvolvida com que enchem a boca apenas para o que lhes interessa. Para que conste, esta desigualdade na distribuição da riqueza é o distingue a sociedades mais justas e desenvolvidas, daquelas a que vulgarmente chamamos do 3º mundo.


»»» - «««

Fotografia

sm;)le

Илья Панфилов

««« - »»»

Humor e Ecologia

Jimmy Margulies

Delestre

9 comentários:

NINHO DE CUCO disse...

Portugal é o País com maiores desigualdades da UE. Por alguma razão o é. O PR fez bem em enfatisar esse aspecto. Porém é preciso muito mais.

quintarantino disse...

Ora, se os países que nos estão à frente não vêm cá buscar os nossos gestores que todos os dias nos dizem que a culpa disto não andar para a frente é nossa, então ou eles lá são tolos ou alguém aqui quer fazer de nós parvos. E mais não digo.

AnarKa disse...

Contam-se pelos dedos da mão o gestores que firmaram créditos em Portugal e depois foram levados para o estrangeiro por grandes empresas. Muitos mais são os que começaram e firmaram carreiras no estrangeiro, porque os portugueses, gestores ou simples empregados são tão bons como os de outras nacionalidades, desde que não engrenem no sistema montado nesta parvoeira.
Querem bons gestores, paguem-lhes bem, dizem aquelas cabecinhas pensadoras, o que não os ouço dizer é, querem bons e produtivos funcionários, paguem-lhes bem.
Este é o país que temos e os gestores que merecemos.
Lol

Tiago R Cardoso disse...

De facto são grandes as desigualdades, ao olharmos para o que ganha um gestor vimos números no mínimo "pornográficos", o que se pretende é evidentemente o aumento do sal´rio do trabalhador .

Maria Faia disse...

Estimado Amigo Guardião,

Concordando embora com a essência do seu post, deixe-me que lhe diga que, relativamente ao Presidente da República, a minha opinião é bem diferente. É que, ainda não me esqueci dos tempo em que esse senhor foi 1º ministro, da sua incapacidade, enquanto tal, para combater as desigualdades sociais e, ainda, da sua histórica reforma das carreiras da adminostração pública que teve como fim único ganhar eleições e aumentar o fosso e a desigualdade entre trabalhadores públicos e privados.
Falar é muito fácil e, para esse senhor, parece que é ainda mais.
Mas, como costumo dizer: "palavras leva-as o vento."
O que os portugueses precisam é de verdadeira acção de combate às desigualdades e não de um presidente que somente está a preparar a sua reeleição.
Deixe-o ganhar o segundo mandato e verá...

Um abraço amigo,
Maria Faia

O Guardião disse...

Maria Faia
Eu não elogiei o senhor Cavaco, nem t pouco aplaudi o facto de ter enunciado o problema da desigualdade, apenas disse que esperava que actuasse em conformidade com os poderes que lhe foram conferidos. Ainda não o vi fazer nada em concreto em prol dos mais desfavorecidos, por isso agora que mencionou o caso, aguardo para ver, já que os anúncios do governo não vão nesse sentido.
Cumps

Ludovicus Rex disse...

Se ao menos o Povo batesse a porta e bem o pé...Mas ouvem, calam e comem, e tudo continua na mesma.
Um Abraço

Rita disse...

Desculpa lá Guardião, mas nós estamos no 4º ou 5º mundo, porque estando na Europa e dizendo-se que vivemos em democracia há mais de 30 anos, estes resultados são uma vergonha ainda maior.
Bjos

Pata Negra disse...

Conheço o Lapedo desde pequinino, sempre me senti noutros tempos quando o percorri!...
Qualquer dia ainda largo a coroa e vou pra gestor!...
Um abraço da Caranguejeira