quarta-feira, janeiro 23, 2008

O PAÍS DAS MARAVILHAS

-A Bolsa cai, os pequenos accionistas perdem, os grandes aprestam-se a comprar com os preços a bater no fundo. Uns ficam mais pobres, outros ganham balúrdios.
-Os salários sobem menos do que a inflação, os gestores garantem o seu futuro com salários de estalo e reformas milionárias.
-Os pensionistas são aumentados uns cêntimos por dia, os carros e as habitações de luxo vendem-se como pipocas.
-Os trabalhadores por conta de outrem gozam cada vez menos as merecidas férias, as classes dirigentes vão cada vez para mais longe, e para locais mais caros e exóticos.
-A Europa cresce mais do que Portugal, mas estamos no bom caminho, e as políticas são as melhores e as mais acertadas.
-Os portugueses estão cada vez mais pessimistas quanto ao seu futuro, mas os políticos cá do burgo são os mais optimistas deste continente.
*
Eu acho que só fumei suruma, a erva lá da minha terra, uma vez, mas estou verdadeiramente arrependido, porque acho que os efeitos ainda se sentem hoje, aqui tão longe, e causam uma euforia maior em certa gente, do que aquela que eu senti há mais de 40 anos atrás.


»»» - «««

Fotografia - Em Busca das Cores

Forks by Gothic-Maz-22

Liquirizia by silviawildchild

««« - »»»

Humor e Recessão

Bob Englehart

Chris Britt

Gary Varvel

7 comentários:

Pata Negra disse...

Para eles, o país são eles. Eles estão bem, logo, o país está bem!
O país que eles conhecem é o país deles, nunca tiveram o prazer de estar nas tasca do Esquim da Emília, por isso criaram a ASAE para a fechar; nunca tiveram à lareira da Ti Rosa, por isso se estão nas tintas para a sua reforma; nunca trabalharam na fábrica de meias do sr.António, por isso se estão nas tintas para que ela feche; nunca frequentaram as escolas e os hospitais do estado, por isso se estão nas tintas para o seu bom funcionamento; nunca andaram de transportes públicos, por isso se estão nas tintas para os aumentos de preços; nunca foram povo, por isso se estão nas tintas para o povo...
porra, que é que me deu para escrever tanto, um abraço guardião

AnarKa disse...

O mundo da política anda completamente alucinado, só vêem a realidade quando estão na oposição, depois esquecem rapidamente. Já nem sei se vale a pena falar deles tal o desprezo a que os voto.
Lol

quintarantino disse...

Caríssimo Guardião, tal como diz o Pata Negra, existem, neste momento, vários países... quase como os infernos de Dante que eram sete... mesmo lá no meio, como se da aldeia de Astérix se tratasse, estão os nossos queridos governantes e assessores alegremente "opiados" a imaginarem-se uns governantes de truz!

Em jeito de pergunta: abandonou-nos? Não temos tido o prazer das suas sempre oportunas intervenções.

Tiago R. Cardoso disse...

resumindo, nós, o povo, é que somos uns ingratos, não conseguimos ver que o país está tão bem, eles é que sabem...

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá querido amigo, sobescrevo na totalidade as palavras do nosso amigo Tiago.
Eu digo ainda, eles pensam que somos mal agradecidos, porque eles são muito bons.
Valerá a pena falar deles ?
Beijinhos com ternura.
Fernandinha

A. João Soares disse...

Há aqui umas ideias que fazem luz no meu espírito. Será que eles andam marados com alguma droga do tipo elixir do optimismo? Serrá que usam lentes que só lhes permitem ver o próprio umbigo?
Lá que são umas jóias de pessoas não tenho dúvidas tal é o sentimento de gratidão para os do clã que têm atenções (corrupção) para com eles. Não há político fora da actividade que não esteja num bom tacho, muitos têm reformas acumuladas todas de alto valor e adquiridas em curto intervalo de tempo. Eles são os donos do País e todos nós somos escravos que cheiramos e não refilamos, enquanto eles se banqueteiam.
Mas, não desanimem, isto vai piorar, como é previsível, pois não há força que pare a máquina na descida da rampa.
Abraços

No blog Do Miradouro há novos artigos

Belzebu disse...

Este país não pára de nos surpreender. Ele já foi um oásis, depois um pântano e agora virou o país das maravilhas! Engraçado é que ele fica sempre melhor para os mesmos e os do costume, nós, continuamos impávidos e serenos a aturar esta cambada! Acho que até o poder de reacção nos levaram!

Aquele abraço infernal!