domingo, dezembro 02, 2007

RAZÕES PARA PROTESTAR

Por muito que nos acenem com números e com previsões optimistas, a realidade é aquela com que nos confrontamos todos os dias, nas conversas no emprego, nos cafés ou em outros locais públicos que frequentamos. O custo de vida aumentou muito mais do que os salários, e as dificuldades aumentam a cada dia que passa, havendo já muitos que admitem estar a cortar em bens essenciais, como na alimentação ou até na saúde.
Temos uns quantos senhores, iluminados pelos altos salários que auferem e com óbvias ligações ao poder político e económico, dizer que a contenção salarial é um sacrifício que todos temos de fazer para um futuro melhor. Esta cantilena, já se ouve há meia dúzia de anos, pelo menos desde o discurso da tanga, e o povo pergunta muito justamente, quais os benefícios de tantos sacrifícios?
Começa a tornar-se patético este apelo ao sacrifício de quem trabalha, quando os bancos continuam a apresentar lucros gigantescos, os grandes grupos económicos também, os políticos vivem numa abundância crescente, os gestores públicos ganham balúrdios e só os pequeninos é que apertam o cinto.
Se repararem nenhuma das reformas levadas a cabo nos últimos anos, deixou de tocar direitos dos trabalhadores ou pelo menos tornou mais caro o acesso dos mesmos a esses serviços. Exemplo, temos a saúde, a educação, os transportes e todos os bens de consumo, se também incluirmos o aumento do IVA. Não me esqueço também dos cortes nas pensões futuras, nos impostos que estão a corroer as pensões actuais. Junte-se a isso o aumento da precariedade no emprego e os salários de miséria que por aí se praticam, e digam-me que estou a exagerar.
Há uns anos atrás ainda nos vinham acenar com o facto de o custo de vida ser mais baixo em Portugal, mas agora já se contabilizam os prejuizos por muitos portugueses atravessarem a fronteira, para se abastecerem no país vizinho onde grande parte dos produtos são mais em conta, e não são só os combustíveis, também os produtos de limpeza e até muitos de alimentação e vestuário, são efectivamente mais baratos.
É preciso ter um discurso demasiado demagógico e ser-se muito hipócrita, para vir dizer que os trabalhadores não têm razões para protestar. Que sabem estes senhores acerca de miséria? Convido-os a sairem dos seus cadeirões e virem ao terreno ver as inúmeras famílias que recorrem ao Banco Alimentar Contra a Fome, ou às instituições de solidariedade social por ele apoiadas, onde talvez encontrem alguns dos funcionários das vossas empresas, ou dos vossos ministérios, porque já há muito tempo que estas ajudas deixaram de ser exclusivamente para os desempregados e pensionistas com baixas reformas, para serem também uma ajuda preciosa para muitos dos que trabalham duramente para vos servir, não recebendo em troca sequer o suficiente para alimentarem as suas famílias.
Estamos na época do Natal, talvez demasiado preocupados com os presentes para os amigos e familiares, mas nunca é demais lembrar que nem todos têm dessas preocupações menores, alguns lutam pela subsistência ou até pela sobrevivência, muitas vezes silenciosa e envergonhadamente.
Há razões para protestar? Isso fica ao vosso critério.
ZP
««« - »»»
AMIGOS
Por motivos profissionais vou estar ausente de Portugal por alguns dias, mas procurarei com a ajuda já habitual dos meus companheiros, fazer uma perninha sempre que possível.
Até breve
««« - »»»
Fotografia
Bakkebu

Bakkebu

««« - »»»

Humor do Leste

Marian Kamenský

Marcel Cizmar

Lubomír Kotrha

11 comentários:

Laurentina disse...

Pois então José muito boa viagem.

Quanto ao post, realmente também dou comigo a questionar-me sobre o Natal de muitos neste país este ano...
Os que não foram afectados pela crise...
Os que foram afectados pela mesma...
E os assim assim...

Os primeiros vão conseguir sobreviver-lhe?!
Vão pois claro que vão porque a consciência não lhes pesa...

b.f.s

beijão grande

Sílvia disse...

Que sabem eles das dificuldades, ou que sacrfícios fazem esses nababos em prol da sociedade? Vamos ver este ano se as revistas de sociedade desvendam onde e como vão eles passar o Natal e a passagem de ano.
Bjos

adrianeites disse...

belos cartoons!

AnarKa disse...

Os pobres que paguem a crise - este é o novo slogan de quem manda.
Lol

Meg disse...

Porque é que não se encena uma ceia de natal à porta do governador do Banco de Portugal?
Foi da boca dele que ouvi mais uma vez essa advertência.
E de outras gentes que por aí proliferam.

Boa viagem, amigo, e sucesso!

Um abraço

elvira carvalho disse...

Se há razões para protestar? Penso que nunca houveram tantas nos últimos 30 anos.
Gostei das fotos e dos cartoons.
Boa viagem
Um abraço

Maria, Flor de Lotus disse...

Olá Guardião,
Há razões para protestar até que a voz nos doa...
Para que o protesto não seja mudo tem que ter "voz colocada e tom " em tecla certa...
Boa viagem!
Espero que tudo lhe corra muito , muito bem e se possível que se divirta também um pouco.
Aguardaremos por si com saudade e carinho muito amigo.
Maria

Joca disse...

Gosto de aqui vir, porque normalmente O Guardião vai sempre direito ao assunto e dá-lhes com força. É cá dos meus.
Fui, e boa viagem

quintarantino disse...

Sempre existiram razões para protestar e ultimamente têm-se intensificado.
Boa viagem e bom trabalho.

FERNANDA & SONETOS disse...

Olá Guardião, até breve meu querido
amigo.
Beijinhos,
Fernandinha

C Valente disse...

Protestar protestamos, eles é que são surdos.
Veja-se
Fala-se em:
Formação- Doutorados no desemprego
Educação- Cada vez se vê mais estupidez nesta governação.
Comida suadavel- Impinjem-nos regras estupidas e absurdas (ex durante tantos e tantos anos ouve colheres de pau, fogareiros de castanhas enm barro)
Agora querem tudo normalizado tipo Mc D.
Saudações amigas
PS. Deixei um convite que espero qeu aceite