quinta-feira, novembro 22, 2007

ALTERAÇÃO DAS LEIS DO TRABALHO

Dois membros desta comissão (do trabalho) demitiram-se por razões que só agora foram tornadas públicas pela comunicação social. Pelo depoimento de um dos demissionários concluo que a razão que sintetiza melhor a sua decisão foi a de deixar de acreditar que seja ainda possível conseguir-se um consenso favorável aos trabalhadores.
Já tinha ficado claro, mesmo antes da constituição desta comissão que o equilíbrio de forças entre as duas partes, empregadores e empregados, estava demasiado desequilibrado a favor dos primeiros,
A Europa com verdadeiras preocupações sociais começa a ficar restrita aos países nórdicos, onde a consciência cívica é matriz desde os bancos da escola e o bem comum é uma característica civilizacional. No resto do continente começamos a ver o avanço para um capitalismo selvagem, que passo-a-passo vai tomando forma, enquanto os direitos dos trabalhadores e dos pequenos empresários, vão soçobrando com o beneplácito dos governantes.
A médio prazo esta é uma estratégia suicida, não só porque a contestação social vai aumentar e as verbas para a acção social também vão escassear por esta via, mas sobretudo porque o envelhecimento das populações se vai agravar ainda mais com as políticas de baixos salários e mais precariedade. A Europa com estas políticas economicistas está condenada ao fracasso económico, por não poder competir com as mesmas armas os países emergentes, e a União que alguns sonharam, mas que está a ser construída sem a participação dos cidadãos, irá desagregar-se quando os Estados deixarem de ter capacidade para o apoio social, ou quando a contestação subir a patamares mais difíceis de conter.
Os sinais já começam a manifestar-se em diversos países, como a Alemanha, a França, a Inglaterra e Portugal, mas os governantes e o grande poder económico teimam em não ver a realidade.


»»» - «««


Fotografias de Escadas


Nautilus by sm64




Too Easy to Fall by dinojrfrk2


««« - »»»


Caricaturas


Stavro


Stavro

10 comentários:

ANTONIO DELGADO disse...

Caro Guardiao,

hoje vi uns trabalhadores num super mercado que abriu no "pueblo" onde costumo estar em Espanha, a trabalhar em condiçoes muito estranhas. Estavam a atender na zona dos embutidos e dos peixes e o frio era tanto no local, sobretudo nos pes, que nao resiti a perguntar-lhes que passava nos dias em que havia frio mesmo detemperatura natual. Disseram-me que têm de aguentar. Com esta resposta logo pensei no triste problema que é estar sem trabalho, sobretudo quando nao se vive de nomeaçoes politicas ou dos enredos partidários.
Lembrei-me da orda de gente desempregada e necessitada que o capitalismo tem ao dispor para substituir todos aqueles que contestam e estao em situaçao precaria:fiquei a pensar na triste realidade que vi. Sobre as imagens sao muito bonitas como vem sendo hábito.

Um abraço.

Ps. enquanto estiver fora o blog será actualizado na mesma postagem com imagens e textos diferentes, pelo que aconselho a visitar:abraço.

AnarKa disse...

O aumento do poder do capital e o enfraquecimento das posições do trabalho só pode levar a problemas sociais. O reequilíbrio, diz-nos a experiência do passado, só pode ser conseguido à força e por paralisações gerais, o que resultará num caos incontrolável e com consequências difíceis de prever. Negociar, com as desigualdades de forças actuais é um esforço inglório e sem qualquer hipótese de sucesso, e já todos percebemos que aquilo que apelidam de negociação é na realidade imposição.
Lol

adrianeites disse...

há prémio na tasca para levantar!

quintarantino disse...

eles andam desejosos por nos tramarem lá com a flexigurança, mas é na versão flexidespedimentosezerodireitos. Desculpem a estranheza da palavra.

Mocho-Real disse...

Estou de acordo, totalmente de acordo!

Saudações.

Joca disse...

Nós ainda seremos chineses, acredita! Malga de arroz, entendes?
Fui

C Valente disse...

Assim acontece,nesta velha Europa com mentalidades caducas, caminha para o fundo, as desculpas são de mau pagador, a acção social devia ser prioritária, e obrigar outrs países a cumprir caso da China , não somos nós que temos de ser prejudicados nos nossos direitos , mas eles melhorarem a situação social. Se necessário interditar as suas exportações
Por aqui só se pensa no grande capital, pois os governantes quando sairem do governo logo vão para as grandes empresas
saudações amigas

Cláudia Ribeiro disse...

Só para deixar cumprimentos. ando sem tempo mesmo.

Maria Faia disse...

Estimado Amigo,

Hoje passo, de corridinha, para deixar um beijo amigo e dizer que há um mimo para si, no Querubim.
Depois, voltarei, com mais tempo.

Maria Faia

Pata Negra disse...

Os governantes teimam em não ver esta realidade porque a realidade deles é outra. Mas eu, que sou Real, digo-lhes que às vezes o mundo dá voltas. Depois não digam que nós não avisámos!