quarta-feira, agosto 22, 2007

PATRIMÓNIO INACESSÍVEL

Hoje tinha planeado escrever sobre os preços das entradas no Palácio da Pena em Sintra, mas um outro amigo teve a mesma ideia, e já o fez. Porque o assunto me indignou, deixo-vos apenas o boneco encomendado à pressa ao Goraz, que também demonstra o meu desagrado.
Artigo sugestivo no Zé Povinho

»»» - «««

Belas Fotos

Selestte

SergIce

««« - »»»

Humor Internacional

Alen Lauzan Falcon

Monte Wolverton

9 comentários:

quintino disse...

Mal por mal, melhor ir ao Louvre.
Ainda há dias paguei 9,00€ para lá entrar...
Não me entusiasmei com a Mona Lisa, é certo, mas aquela Vénus de Milo.

MARIA disse...

Posso levar a rosa ?
E o passarinho ?
Estou a brincar, meu amigo. Belas imagens. Beleza pela qual ainda não temos que pagar !...
Um beijinho
Maria

AnarKa disse...

É um roubo, com o silêncio cúmplice do Ministério da Cultura...
Isto é que é a gestão profissional?
Estamos falados!

Tiago R Cardoso disse...

Se tiver cartão rosa tenho direito a desconto ?

o guardião disse...

Caros amigos
Quintino - É verdade, no Louvre são 9€, mas duvido que quem decidiu esta barbaridade alguma vez lá tenha ido.

Maria - Podes levar a rosa à vontade, eu voltarei a colocar outras tão viçosas e belas como esta. É grátis!

Anarka - Roubo é uma palavra feia pelo que sugiro "extorsão" que mesmo assim ....

Tiago - Pelo que pude constatar, só há descontos (entradas grátis) para os munícipes, ao domingo de manhã. Rosas só por aqui, mas com outras cores por causa da minha alergia.

Cumps

Cláudia Ribeiro disse...

Depois diz-se que os portugueses não se interessam pela cultura.. Pudera! Com estes preços...

Odysseus disse...

Alguém anda a mamar dos 11 euros de entrada, dps admiram que em Portugal não liguem a cultura, museus fecham em feriados, ferias greves, preços exorbitantes etc etc

adrianeites disse...

a frase do gerente define o estado das coisas!

o louvre quintino... estive lá há 11 anos.. já não me lembro...

cp's

o guardião disse...

Amigo Odysseus
Lembra-se das greves e dos fechos parciais dos museus? Sabe que as faltas de pessoal estão a ser garantidas por contratados a dois, sim dois meses. Acabam no final de Setembro. O problema foi empurrado com a barriga, para a frente, mas não foi resolvido, nem há qualquer projecto em cima da mesa.
Sabe que apesar da falta de pessoal, os gestores deste ministério, iluminados por sinal a julgar pelo apoio de alguns directores, no pagamento do trabalho efectuado nos feriados, prefere poupar oferecendo em troca dois dias de folga? Bom exemplo de gestão de (falta) de pessoal.
Talvez por isso a ideia da directora do MNAA faça sentido em alguns museus, palácios e monumentos com mais visibilidade e visitantes. Se estou enganado, como parece que é a opinião do Ministério da Cultura, como explicar então a situação do Palácio Nacional da Pena?
Cumps