quinta-feira, agosto 23, 2007

MUSEU DA ESCRAVATURA

Sempre procurei arranjar tempo para me informar, ler, visitar museus, ver cinema, ouvir música, conviver e sobretudo para a família. É uma tarefa que implica muita disciplina na utilização do tempo, que é sempre escasso para tudo isto, mas lá vou conseguindo umas coisas, embora haja sempre algo mais que gostaria de ter feito, mas que teve de ficar para outra oportunidade. A história é um dos poucos interesses que tem tido alguma prioridade, só relegada para segundo plano pelo convívio familiar.
Hoje li algures que vai ser inaugurado, precisamente hoje em Liverpool, um museu dedicado à história da escravatura transatlântica, salientando o modo como essa cidade enriqueceu a custa do tráfico de seres humanos e também da sua resistência. Talvez para muitos pareça apenas que se trata de mais um museu, mas as palavras do seu director, dizendo que afirmou “não será um museu neutral”porque foi criado para “desafiar a estreiteza de espírito, a incompreensão e o racismo”, chamaram a minha atenção.
Eu costumo dizer que muitos se envergonham da nossa História, por em certos momentos se terem praticado erros e até barbaridades, o que é um tremendo erro. Todos os povos, todas as sociedades, em determinados momentos da sua história, também tiveram os seus “pecados”. Não podemos ignorar, nem tentar esconder esses episódios, pois o seu conhecimento é o melhor motivo para que erros desse tipo, nunca mais possam vir a ser praticados.
Talvez venha a ser um museu demasiado polémico, mas se cingir à verdade histórica, será um contributo importante para alertar consciências. Imagino o que seria sugerir fazer um museu destes em Portugal…

Nota: Sugiro uma visita a um sítio que consultei recentemente por outros motivos, embora também ligado ao tema Escravatura:
The Atlantic Slave Trade and Slave Life in the Americas: A Visual Record
Jerome S. Handler and Michael L. Tuite Jr.

»»» - «««
Fotografias
Music is Served by *NoHoRimpianti777
Another point of view by =caithness155

««« - »»»
Humor Internacional

Eric Allie

Daryl Cagle

11 comentários:

C Valente disse...

a escravatura existiu, e existe hoje, sobre diversas formas, e algumas bem perto de nós
sasudações amigas

quintino disse...

Não me parece que vá fazer furor esse novo Museu. E logo na Velha Albion...
Por outro lado, nunca se sabe pois pode ser um óptimo muro das lamentações para todos os que persistem em ignorar as novas formas de escravatura.

Sulista disse...

Hello, voltei ;-)
mas ainda não consigo falar de coisas sérias ;-)

Bjs

Tiago R Cardoso disse...

Em Portugal ?
acho muito difícil, se não se dá relevância aos erros do presente, muito menos se daria aos erros do passado.
A existir as dimensões, do museu, tinham de ser grandes, temos muito para contar.

o guardião disse...

As novas formas de escravatura estão aí, mais sofisticadas talvez, mas tão opressoras como as antigas. Não creio que o museu vá fazer um grande furor, mas que vai gerar controvérsia isso vai. Espero que pelo menos suscite o debate, que isso sim, é importante.
Cumps

Sophiamar disse...

Irei consultar o artigo que recomendas.A história faz-se destes documentos. Para o bem e para o mal, doa a quem doer, a verdade acima de tudo.
Beijinhos

Cláudia Ribeiro disse...

A verdade é que tudo aquilo que é polémico normalmente tem sucesso. Espero que seja o caso desse museu. Há que expor este tipo de temas, que ainda são, ignorados por muitos.

J.G. disse...

Na História tem sido escrito todo o passado dos povos.
o que houve de bom e de mau para a Humanidade.
Um museu desse tipo é como outro qualuer, faz-nos conhecer melhor as realidades do passado e só pode contribuir para que nos empenhemos em construir um mais risonho futuro.
Com o desconhecimento do que passou, ninguém aprende nada.

Um abraço.

António do Telhado disse...

Muito interessante

©õllyß®y disse...

Continua a existir... lamentavelmente, e mais cruel...
Dece ser interessante visitar, e ver mais de perto a realidade, mesmo que de outrora, mas as pessoas não gostam de ver de perto a realidade, certam,ente não será grande exito...
Doce beijo e meu rastooooooooo

aryana disse...

Concordo plenamente..
Há que ter a coragem de mostrar a realidade nua e crua dos tempos passados,por mais cruel e desumana que tenha sido.A história faz-se através das pessoas e para as pessoas.
Enquanto existirem homens e mulheres,há-de existir não aquela, mas as outras formas de escravidão que tão bem conhecemos..
Saudações