domingo, julho 08, 2007

SIGILO NA CULTURA

O Guardião sabe que o Palácio Nacional da Pena, que segundo a nova lei orgânica do IMC IP, deveria ficar sob sua tutela, vai passar a ficar sob comando dos Parques de Sintra – Monte da Lua, a tal sociedade anónima que está a colocar sob sua alçada todos os monumentos classificados da zona histórica de Sintra. O assunto já foi aqui abordado outras vezes, mas agora já é um dado adquirido, embora as notícias e a natureza desta entrega ainda não tenha sido comunicada oficial e publicamente.
É um caso bizarro e muito estranho, que apesar de existir uma nova lei orgânica que diz que a tutela deste palácio é o IMC, aprovada por este governo e em vigor há muito pouco tempo, se saiba que afinal não é bem assim, pois de facto os PS ML é que efectivamente vão tomar conta deste monumento sem que se tenha conhecimento público da decisão e das condições em que esta cedência foi feita.
Oficiosamente O Guardião tentou contactar pessoas ligadas a esta área e todas confirmam a notícia, embora não saibam dar mais detalhes. Também ficou confirmado que o pessoal do próprio palácio, funcionários afectos ao Ministério da Cultura já foram contactados pela dita sociedade, mas também não foi possível obter qualquer outro comentário, porque o assunto ainda está em processo de decisão, mas é patente algum nervosismo e preocupação apesar do silêncio a que se remeteram os funcionários.
Um Palácio Nacional entregue assim sem mais, é um acto sem precedentes. Os contribuintes deste país têm o direito de saber tudo sobre este assunto – razões, objectivos e responsabilidades – porque a manutenção do Palácio da Pena tem sido paga com a contribuição dos impostos de todos.

««« - »»»
Escolhas fotográficas
Фомичев Артем

Xenia

««« - »»»

Humor Nacional
Beber e conduzir

6 comentários:

Maria Faia disse...

Amigo Guardião,

O Palácio da Pena é uma das jóias do nosso Portugal...

Beijo e Bom Fim de Semana.

o guardião disse...

Maria Faia
A Pena é uma jóia ou até uma maravilha do NOSSO Portugal, não há discussão sobre o assunto. Problemas há quando se sabe que a sua exploração fica a cargo duma qualquer sociedade anónima, e isto se faz sem informação pública e sem a clareza que se impõe porque estamos a falar dum monumento nacional.
A transparência que se exige é um direito que nos assiste a todos.
Cumps

papagueno disse...

Uma jóia que vai parar às mãos de uma empresa duvidosa e que até há bem pouco tempo tinha dívidas enormes. O maior credor da empresa era o próprio estado, o que terá acontecido a essas dívidas?
Um abraço.

Meg disse...

Cheira-me a mais uma negociata.Não será? Não seria a primeira.
Um abraço

adrianeites disse...

as coisas feitas desta forma deixam sempre suspeitas no ar, normalmente pertinentes!

concordo!
temos o direito a ser informados!

o guardião disse...

Calculo que haja muita gente a querer conhecer os contornos desta operação, mas publicamente ainda nada foi anunciado, o que nos faz suspeitar que seja algo que não se quer que seja discutido.
Cumps