quarta-feira, junho 13, 2007

DO PAÇO REAL AO PALÁCIO DE HOJE

MUDANÇAS ESTRUTURAIS II
Já mencionei que algum casario fronteiro ao Paço Real de Sintra foi arrasado após a implantação da República e que o muro e o portão de entrada no terreiro também desapareceram do local, mas mais coisas também foram alteradas nesta mesma zona.
Começarei pelo esguicho que teve pelo menos dois tanques diferentes e que esteve também sem tanque em pelo menos dois locais diferentes, e que hoje está no Jardim da Preta.
Também não existia a actual escadaria de acesso ao Jardim da Preta e a escadaria principal de acesso ao interior do Paço estava colocada lateralmente, em relação à fonte da entrada, tendo também sido mudada no decurso das obras depois da primeira década do século XX.
Os arcos em ogiva, após a fonte da entrada também estiveram entaipados, três deles, sendo que o primeiro da esquerda dava acesso ao espaço situado sob a Sala dos Cisnes.
Estes factos documentados por diversas imagens e gravuras, são algumas curiosidades que nos ajudam a perceber que um monumento que hoje está aberto às visitas de nacionais e estrangeiros, foi edificado para uma outra função, a de habitação, tendo sofrido estas alterações que em pouco alteraram o essencial que era a parte ocupada pela família real.
Nota do autor: Escrevi estas palavras e forneci algumas imagens apenas para satisfazer os pedidos do "dono do espaço" e porque reconheço que há poucas publicações sobre este palácio, e menos referências ainda a estas mudanças, que a maioria do público desconhece.

Uma gravura curiosa de Burnett com o esguicho

O esguicho com o tanque

O esguicho já depois da remoção do portão de entrada

Antigo portão de entrada e o esguicho à direita
Imagem onde se vê a antiga escadaria de entrada

3 comentários:

adrianeites disse...

está a fazer serviço publico!
bom post!
cp's

Zé Povinho disse...

Porque ainda há quem divulgue o Património, escrevendo algo que não está nos livros que tenho lido.
Tenho os dois roteiros que saíram recentemente sobre o palácio e esta informação não está lá...
Abraço

papagueno disse...

Como diz o Adrianeites este é um serviço público. Obrigado por divulgares este monumento tão importante e tão esquecido. Só estes posts já fizeram muito mais que o extinto IPPAR pela sua divulgação.
Um abraço.